Na condição de veículo de comunicação mais longevo do estado, informando e conectando a comunidade regional com os fatos que impactam o cotidiano, não poderíamos nos furtar do compromisso de levar ao conhecimento dos leitores nosso posicionamento concernente ao conteúdo produzido pelo colunista Luiz Carlos Prates, publicado na edição do dia 04 de outubro de 2019, reprovado pelas entidades de representação e proteção das mulheres.

De antemão, como bem contemplado no expediente do jornal, cumpre-nos salientar que “os artigos e opiniões assinados pelos colunistas, não retratam, necessariamente, o posicionamento do jornal, sendo de inteira responsabilidade dos autores”. Ademais, é notório e comprovável que o jornal não tem se abdicado da pauta das injustiças sociais, em específico, a violência contra as mulheres.

Oportuno se faz também, afirmar que, em estreita conexão com nossos assinantes, e mesmo que o momento de exacerbada polarização social possa instigar excessos nas opiniões, sempre asseguraremos e resguardaremos o princípio da liberdade de expressão. Fundamentado nesse princípio, em consonância e respeito aos nossos assinantes, executamos pesquisas mensais, buscando identificar com critério, os índices de confiabilidade e aceitabilidade de nossos conteúdos, agregando ou suprimindo de acordo com respectivos indicadores.

Por fim, regidos por senso de transparência, ratificamos que nosso código de ética está amparado nos seguintes valores: Compromisso com a verdade; Ética editorial; Independência; Transparência; Qualidade dos processos e serviços; e Compromisso com a comunidade.