Nesta semana gostaria de retomar um assunto já aventado, porém agora com maior detalhamento, a técnica RDI - Restauração Dento Alveolar Imediata. Existem certas abordagens que quando descobertas ou desenvolvidas transformam a maneira como olhamos para uma situação, definitivamente a técnica RDI é uma delas.

Criada por um cirurgião-dentista gaúcho, Dr. José Carlos Martins da Rosa, esta abordagem trouxe uma solução para uma situação que até então condenava os pacientes que apresentavam perda óssea em dentes fraturados à sequelas irreversíveis ou de dificílima recuperação, necessitando de muitas cirurgias reparadoras e obtendo resultados no máximo razoáveis.

Mas qual era o problema? Na maior parte das vezes que quebramos o dente de forma a condená-lo, é muito frequente que o processo infeccioso advindo da fratura cause uma destruição do osso que sustenta este dente, para pequenas perdas existiam abordagens confiáveis, porém para as médias e grandes perdas não havia a possibilidade de instalação imediata dos implantes, pois o reparo da perda ou presença de infecção não permitiam esta solução. A abordagem era a extração do dente, aguardar a cicatrização, avaliar as perdas e iniciar as manobras para tentar melhorar o quadro para instalar o implante, novamente aguardar a cicatrização e depois fazer o dente em porcelana. A escolha deste caminho promove sequelas estéticas como a perda de volume gengival e de papilas (aquela gengiva que preenche o espaço entre os dentes), fazendo com que o dente destoe dos naturais em sua volta, deixando-o com aspecto artificial.

Contrariando toda a literatura que dizia que isso seria impossível, o Dr. Rosa desenvolveu um protocolo onde a perda óssea é recuperada no mesmo ato da remoção do dente e instalação do implante que substituirá esta raiz, na maior parte dos casos instalando coroa provisória fixa sobre este implante, e isso é possível inclusive em presença de infecção. Claro que as manobras terapêuticas devem ser conduzidas corretamente. Após a cicatrização final, três meses aproximadamente, substituimos o dente provisório pelo de porcelana, mas com todas as estruturas intactas ou recuperadas, de forma a parecer que este dente nunca fora perdido.

Esta mudança de paradigma revolucionou a implantodontia mundial e hoje a técnica encontra-se na maturidade, além de muitos artigos publicados na literatura de ponta mundial, seu livro já tem versões em inglês, espanhol e mandarim além do português.

A indicação e execução correta da técnica pode fazer toda a diferença quando o objetivo é alcançar um resultado natural. Imagine o peso estético da fratura de um dente que aparece no sorriso, a RDI é a opção ideal nos casos de fraturas associadas a perdas ósseas, a principal questão é não perder a oportunidade de intervir no momento certo, pois o timming é essencial.

Dr. Luciano Dreschel - Mestre e especialista em Prótese Dentária, Especialista em Implantodontia e especializando em Odontologia Digital, Professor de Prótese Dentaria da FURB e coordenador do curso de especialização em Implantodontia e Prótese Dentária do Grupo Harmonique em Blumenau.