Foto Divulgação
Foto Divulgação

A laqueadura é um método de prevenir gravidez de forma definitiva muito utilizado por mulheres no Brasil, podendo ser considerado em algumas literaturas o método mais procurado no mundo.

Existem várias técnicas cirúrgicas, mas o objetivo é criar uma barreira mecânica nas trompas através de cortar, amarrar, queimar e/ou ligadura por anel das trompas.

É um método extremamente eficiente, com taxa de falha de 0,5 gestações/100 mulheres/ano. As falhas acontecem porque, algumas vezes, ainda que a técnica do cirurgião tenha sido perfeita, as trompas podem se recanalizar sozinhas.

Estima-se que 21,8% de todas as mulheres estejam laqueadas, que 29,1% das mulheres em união estável utilizam a Laqueadura Tubária (LT) no Brasil. Sendo que destas, 40% das mulheres entre 35-39 anos e 51% das mulheres entre 45-49 anos são laqueadas.

Pacientes atendidas pelo SUS podem pedir essa opção aos médicos do pré-natal ou à enfermeira do posto. Ela será direcionada ao atendimento de planejamento familiar e será instruída sobre as opções para prevenir gravidez, riscos do procedimento e trâmites legais.

Um grande problema associado à laqueadura é o arrependimento. Entre 11% e 15% das mulheres laqueadas se arrependem, sendo que quanto mais precoce a idade na realização do procedimento, maior a chance de arrependimento. A principal causa é um novo relacionamento e desejo de ter filhos frutos dessa nova relação.

Legislação

A lei nº 9.263 prevê a esterilização voluntária de homens ou mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de sessenta dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico

Sobre laqueadura no parto a lei diz: “É vedada a esterilização cirúrgica em mulher durante período de parto, aborto ou até o 42º dia do pós-parto ou aborto, exceto nos casos de comprovada necessidade, por cesarianas sucessivas anteriores, ou quando a mulher for portadora de doença de base e a exposição a segundo ato cirúrgico ou anestésico representar maior risco para sua saúde. Neste caso, a indicação deverá ser testemunhada em relatório escrito e assinado por dois médicos”.

Essa lei entende que a mulher não está no momento mais apropriado para tomar decisões definitivas, ela está emocionada pela gestação, e por isso não indica a laqueadura durante o parto.

 

Síndrome pós-laqueadura

Entre as mulheres laqueadas e que tiveram reversão da laqueadura, apenas 30-48% conseguem engravidar.

Um grande problema da Laqueadura Tubária é a Síndrome Pós-laqueadura caracterizada por:

  • Desarranjo do ciclo menstrual (ciclo irregular);
  • Aumento do sangramento menstrual,
  • Sintomas pré-menstruais intensificados (dor de cabeça, inchaço, dor nas mamas, tontura e irritabilidade) - aumento de 74,6%;
  • Cólica menstrual intensa - aumento de 13,8%;
  • Dor pélvica - aumento de 26,2%;
  • Dor na relação sexual;
  • Redução do desejo sexual - diminuiu 16,2%

As causas para essa síndrome são desconhecidas, mas acredita-se que está relacionado com o comprometimento do suprimento sanguíneo do ovário, alteração da inervação da trompa e/ou do ovário, torção ovariana e aderências pélvicas (quando os órgãos dentro da cavidade abdominal, após a cirurgia, ficam ligados ou grudados).

Ficou com dúvidas? Converse com seu médico, e se eu for sua médica, converse comigo. Mais informações no nosso Instagram @drajulianabizatto.

Referências Bibliográficas: Laqueadura tubária: caracterização de usuárias laqueadas de um serviço. Nicolau et al. Fortaleza - CE. 2011 | Laqueadura tubária como causa de infertilidade - avaliação em um hospital universitário. Magalhães et al. UFPR. 2014. | Síndrome Pós-Laqueadura - Repercussões clínicas e psíquicas da ligadura tubária videolaparoscopia: estudo observacional de coorte única, retrospectiva. 2014. Botucatu- SP.

Dra. Juliana Bizatto

(CRM/SC 16684 | RQE 15232)

Endereço: Edificio Blue Chip: rua João Planincheck, 1990 - sala 501, bairro Jaraguá Esquerdo

Contato: (47) 3307 4853 | 9 9154 7387

Redes sociais: Facebook | Instagram