"Aprendizado como 'vacina'"

Fonte Imagem: ennielifecoach Fonte Imagem: ennielifecoach

Colunistas

Por: Emílio da Silva Neto

sexta-feira, 03:15 - 08/01/2021

Emílio da Silva Neto

2020 foi um ano difícil e doloroso para a maioria das pessoas, no mundo todo. Feito o balanço, dá para separar o que deu certo, do que deu errado e o que cada qual precisa melhorar, com ações calcadas em lições extraídas do ano especial.

Para fazer 2021 um ano novo melhor, após tirar-se o pé do acelerador ou, até mesmo, parar, saindo do foco da carreira, da economia e da prosperidade, colocando-o na própria sobrevivência, há que se consolidar soluções que reduzam a vulnerabilidade reinante, não só quanto ao aspecto fisiológico (o Covid-19 em si), mas, também, das suas implicações em âmbito geral.

A pandemia, como um divisor e um anabolizante, acelerou profundas transformações, como que uma ampla metamorfose. A volta à normalidade não é mais uma possibilidade, pois a grande maioria das mudanças sobreviverão ao vírus, moldando o futuro, em maior ou menor grau, por mais tempo ou para sempre, rumo a um irreversível ‘novo normal’, este não mais desconfortável ou caótico.

Contudo, um número significativo de pessoas ainda não se deu conta do momento presente, resistindo às mudanças, tentando manter hábitos e posturas do pré-pandemia, ou seja, sem flexibilidade e abertura para o novo. Essas, certamente “perderão o bonde” quando a pandemia passar (sim, passará!).

Mudanças, perdas e atribulações devem ser encaradas como aprendizado e maneiras de crescimento integral, na esperança de dias melhores.

Os últimos tempos obrigaram a se ter que aprender a reorganizar, refletir e reinventar, tudo a partir da possibilidade de se mudar... sempre. Não dá para parar no caminho e nem pensar em olhar para trás, pois os sonhos estão adiante e, só saindo da zona de conforto, se garante a própria continuidade evolutiva.

Com o aprendido em 2020, 2021 poderá ser um marco de quebra mundial de padrões, mostrando às próximas gerações que se soube reagir, fazendo boas escolhas, e mudando o necessário num momento tão adverso. Tal como na travessia de um deserto, com extensão e temperatura imprevisíveis, pôde-se, por muito tempo, contar só com os suprimentos disponíveis no início da jornada. E agora, cumprida a fascinante aventura científica, pelo mutirão de cientistas de todo o mundo na busca de vacinas eficazes contra a Covid-19, espera-se haver ficado para trás o trecho mais quente do deserto.

Que 2021, lembrando Winston Churchill ("nunca desperdice uma boa crise"), consolide crescimentos pessoais exponenciais em todos os pilares da vida: carreira, empresa, relacionamentos, saúde, mentalidade, etc.

Aqui, ressalte-se a importância da autoconsciência (autorresponsabilidade) para o aprendizado contínuo em um mundo em constante mudança, como os avanços tecnológicos, a revolução digital e agora, todas as mudanças que a pandemia provocou. E com proatividade alcança-se o desenvolvimento contínuo (também conhecido como longlife learning).

Em síntese, assim como as vacinas parecem ser a única solução para o combate do mutante vírus, a única maneira de enfrentar desafios desta era é compreender a aprendizagem como algo que não deve parar após a conquista de um diploma, pois nunca o conhecimento se desenvolveu tão rápido fazendo com que conteúdos adquiridos logo se tornem obsoletos e precisem de atualização.

Enfim, mais poderoso que as vacinas, e longe de receitas padronizadas, o desenvolvimento contínuo, como caminho e não fim, e com competências em constante  reciclagem, permite a adaptação a necessidades atuais e antevisão de tendências.

Ademais, esta ‘vacina’ (a do autodesenvolvimento contínuo) tem eficácia máxima e não provoca embates ideológicos...

Disponíveis para compra na Grafipel/Jaraguá do Sul.

Também, com dedicatória personalizada, diretamente com o Autor

Emílio da Silva Neto

Dr. Eng., Industrial, Consultor, Conselheiro, Palestrante, Professor (*) Sócio da ‘3S Consultoria Empresarial Familiar’ (especializada em Processo Decisório Colegiado, Governança, Sucessão, Compartilhamento do Conhecimento e Constituição de Conselhos Consultivos e de Família). Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento.

Curriculum Vitae: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4496236H3
Tese de Doutorado: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2016/08/Em%C3%ADlio-da-Silva.pdf
Contatos: emiliodsneto@gmail.com | (47) 9 9977-9595 | www.consultoria3S.com

×