Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

Até 2030, um contingente expressivo de humanos(?), lançarão aos mares o equivalente a 26 mil garrafas plásticas por quilômetro quadrado, ou, 10 milhões de toneladas por ano.

Em meio a tanto lixo, o Brasil detém o quarto lugar como país mais produtor de lixo do mundo, segundo a World Wildlife Fund (WWF). São 11,4 milhões de toneladas por ano, das quais, cerca de pífios 1,3% são recicladas, sendo que há um potencial de se reciclar 30%.

Significa que o Brasil joga no lixo cerca de 10 bilhões de reais por ano com materiais que poderiam ser reciclados. Esses números alarmantes nos mostram que a harmonia entre homem e natureza deverá ser reconquistada. Ela foi desconectada por conta do consumismo e desperdícios desenfreados.

Sensível à esta questão, o Instituto Lixo Zero Brasil, criou em 2010 o movimento nacional “Semana Lixo Zero”, promovida em todo território nacional. O tema deste ano, também abraçado por Jaraguá do Sul, é "Lixo Zero Inspira Minha Cidade", e encontra-se em curso entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro.

A ação visa promover um choque de conscientização com relação à sustentabilidade. Ainda se aceita a condição de que o homem é o centro de tudo, e de que os recursos ambientais devem lhe servir e satisfazer a todas as suas necessidades.

Ainda se sustenta a ideia de que a preservação e a sustentabilidade do planeta se situam na contramão do processo de produção e consumo a qualquer custo.

Lamentavelmente, os que reciclam corretamente o próprio lixo, ainda são uma minoria na sociedade. Entretanto, além da correta reciclagem, é necessário que se produza menos lixo. Isso demanda uma atitude de redução do consumismo e do desperdício.

Que este movimento possa provocar a reflexão sobre qual é nossa particular relação com o lixo, que impacta nossa casa, nossa cidade e o planeta.

 

Receba notícias do OCP em seu aplicativo favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul