O crescimento urbano de qualquer cidade impõe desafios de toda a ordem, dentre eles, a mobilidade, já que as pessoas passam a demandar mais tempo e custo em seus deslocamentos. Por isso, a operacionalização eficiente do transporte coletivo torna-se, por conseguinte, o grande desafio da gestão pública.

Salvo exceções, falar de transporte público no âmbito nacional, é se deparar com problemas estruturais históricos como: ausência de políticas públicas integradas; falta de investimentos em infraestrutura urbana para qualificação das vias; falta de planejamento e racionalização dos sistemas de transportes; e necessidade de fontes extra tarifárias para financiar a prestação do serviço de forma equilibrada e a custo módico para os usuários.

Nesse contexto, Jaraguá do Sul também apresenta suas particulares limitações que vêm sendo trabalhadas. Substancialmente, nosso modal segue ainda restrito ao ônibus, e as recorrentes reivindicações dos usuários tem sido o preço da passagem e a maior disponibilidade de linhas.

No entanto, avanços tem sido verificados no tocante a infraestrutura, com inovação do sistema e qualidade dos pontos com abrigos para passageiros, e também, com a recente redução no custo da passagem. Ressalta-se, por fim, que um olhar disruptivo para a mobilidade urbana pressupõe transporte público de qualidade, com diversidade de modais e acessível a todos.

No entanto, trata-se de uma via de mão dupla. Por um lado, exige-se investimentos públicos em obras que privilegiem o uso do transporte coletivo e, por outro, a conscientização popular pela minimização do uso do automóvel. Este é o caminho mais perto e seguro para se chegar a um futuro saudável e sustentável.