Como já sustentado aqui nesse espaço editorial, a peculiar vocação empreendedora de Jaraguá do Sul, tem suplantado, as crises econômicas e, também, a presente crise pandêmica, cujos impactos tem sido intensos e generalizados.

Mesmo em meio a este cenário de instabilidade e incertezas, o empreendedorismo jaraguaense tem prosperado. A identidade empreendedora, aliada ao senso de superação e resiliência do povo jaraguaense, produzem exemplos como os retratados na matéria que o OCP publicou nesta quinta-feira (5).

A verdade é que toda a crise, seja de qual for sua natureza, sempre trará instabilidade, transtornos e perdas. Entretanto, o jargão de que toda crise traz consigo grandes oportunidades, também é uma verdade incontestável. Isto porque, toda a solução de qualquer crise, encontra-se dentro da própria crise. É onde se desperta forças como coragem, iniciativa, ousadia, criatividade, inquietude, superação e reinvenção.

O produto final sempre será transformação e evolução. A propósito, as mentes empreendedoras são as inquietas, que buscam identificar e atender às novas necessidades que surgem em meio as crises. Com aprendizado, essas sempre sobrevivem as tempestades e encontram a bonança no final de tudo.

Os dois testemunhos que trazemos na matéria de hoje, além de corroborarem o exposto, são realidades que ajudam a explicar o conceito da nova economia criativa, ou seja, produtos e serviços cujo valor agregado deriva do capital humano.

Percebe-se que, além da criatividade, outros atributos humanos encontram-se inseridos nos produtos dos respectivos cases, como: sensibilidade, habilidade, dedicação, zelo, emocionalidade, personalidade e inspiração.