Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

Não há quem não tenha sido afetado, em maior ou menor grau, pela pandemia do novo coronavírus. Um dos ambientes severamente impactados tem sido o da educação. O sistema logístico educacional precisou ser, contingencialmente, reinventado e readaptado, de formas a minimizar prejuízos do ensino-aprendizagem.

Entretanto, práticas bem sucedidas em meio a este contexto sem precedentes, têm evidenciado que a educação é um processo social em que pais, escolas e alunos se encontram envolvidos e comprometidos com objetivos e perspectivas convergentes, falando uma linguagem acessível, dividindo tarefas distintas, mas, com responsabilidades comuns, com vistas à formação e evolução.

Por conta da impossibilidade do presencial nesse processo, exemplos de resiliência e criatividade tem se mostrado cada vez mais recorrentes em nosso município.

Matéria do OCP, aborda com detalhes, o ‘case’ da escola estadual Heleodoro Borges, que realizou uma semana especial de mostra das atividades produzidas pelos alunos do ensino médio e do magistério, nas aulas não presenciais, trabalhando, providencialmente, vários aspectos da vida e aprendizado, de forma interativa.

O resultado é uma prova concreta de que, mesmo em circunstância adversa, é possível promover aprendizagem, desde que haja inovação, criatividade, perseverança, colaboração, participação e confiança.

A mostra realizada por esta escola, nos diz, em essência, que também se aprende lendo além dos textos, compreendendo além das imagens e, notadamente, absorvendo além da sala de aula.

Enfim, instituições de ensino, atentas e sensíveis às novas concepções do saber e das tecnologias educacionais, promovem educação colaborativa e inclusiva, oportunizando trocas de experiências, interatividade e estreita conexão com a nova realidade.

 

Telegram Jaraguá do Sul