A memória histórica entendida como elemento determinante da identidade cultural coletiva, deve ser sempre cuidadosamente preservada e valorizada.

No entanto, o zelo com essa memória não significa, tão somente, remeter ao passado, mas, estimular nos cidadãos, o entendimento de um caminho percorrido na formação identitária de uma coletividade e, ademais, orientar a adequada direção do futuro.

É compreensível que o avanço da ciência e da tecnologia, com novas ordens sociais, têm instituído novos paradigmas, valores, linguagens e culturas. Todavia, essas variáveis não podem causar qualquer forma de ruptura com o passado.

Ciente dessa condição, a Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), abriu Edital de Tomada de Preços, para ampla restauração do Museu da Paz, que abriga um rico acervo da Força Expedicionária Brasileira (FEB), e nossos Pracinhas que lutaram na Segunda Guerra Mundial, cujo prédio está localizado na Avenida Getúlio Vargas.

Vale salientar que se trata de um relevante investimento que, segundo a mesma Secretaria, assegurará que o referido museu, siga sendo ponte e janela, cuja missão é ligar mundos, tempos, culturas e pessoas, visando a evolução.

O leitor encontrará mais informações sobre esse tema nas plataformas de comunicação do OCP.