Se aproxima o momento da tão pronunciada palavra “Covid” ser substituída pela tão esperada expressão “ein prosit.” A nossa tradicional Schützenfest, cujas raízes são medievais, originadas na Bélgica, Holanda, França, mais tarde, por volta do século 14, na Alemanha, e instituída aqui em nossa cidade em 1989, pela Associação dos Clubes e Sociedades de Caça e Tiro do Vale do Itapocu (ACSCTVI), começa a ser planejada para acontecer entre os dias 10 a 20 de novembro desse ano.

Certamente a Comissão Central Organizadora (CCO) trabalhará no sentido de proporcionar não apenas uma festa ocasional, mas uma autêntica manifestação cultural festiva. Um ambiente familiar de entretenimento, seguro, organizado, limpo, com o concorrido tiro ao alvo, gastronomia, bebida, música, dança, desfiles e, obviamente, a simpatia e beleza das majestades. Ou seja, um evento inteiramente típico e envolvente, sempre com o firme propósito de manter viva nossa memória histórica e cultural.

De acordo com a CCO, a festa está sendo preparada, porém, a realização dos eventos dependerá, ou se adequará, às possíveis determinações sanitárias que estarão vigorando. Fundamentalmente, três eventos característicos precedem a festa: i) o Schützenplatz, ou Schützen na Praça, que dará o pontapé nas comemorações da Festa dos Atiradores, agendado para o dia 30 de abril, das 10h às 14h, na Praça Ângelo Piazera, em frente ao Museu Histórico; ii) o Schützenbaum, que tem origem nas festividades do Maibaum, realizadas na Baviera, Alemanha, em que um tronco de uma árvore é erguido e enfeitado com os símbolos das profissões, religiões e emblemas políticos e culturais conhecidos na localidade, agendado para o dia 10 de setembro; iii) o Sons & Sabores, que vai apresentar à imprensa, sociedades e convidados, a gastronomia da festa, as variedades de chope, culminando com a tradicional competição Tiro Imprensa.

Que tudo transcorra a contento para concretização de nossa Schützenfest.