É devastador o impacto que a explosão demográfica e o ritmo de desenvolvimento têm provocado sobre o ecossistema do planeta desde a revolução industrial. Como também, é desalentadora a histórica negligência que têm se testemunhado quanto a proteção e preservação do meio ambiente. A humanidade, há muito, ultrapassou a biocapacidade do Planeta.

O modelo de desenvolvimento, com descontrolada exploração de riquezas naturais e desenfreada emissão de gases poluentes, já se fez obsoleto. Doravante, o desenvolvimento deverá coexistir com a necessidade e responsabilidade de preservação, para garantir sustentabilidade às atuais e futuras gerações. As sociedades mais atentas já começaram a implementar ações concretas nesse sentido, valendo-se da criatividade humana e abundância tecnológica disponível.

A mobilidade urbana sustentável é um dos grandes desafios das cidades contemporâneas. Porém, ainda é expressiva, e continua crescendo no Brasil, a frota de veículos movidos a combustíveis fósseis. Vale destacar que a meta de nosso país, constante do Acordo do Clima de Paris, é reduzir as emissões em 43% até 2030.

Consciente dessa realidade, e da urgência em se construir um futuro “limpo,” Jaraguá do Sul, se posiciona na vanguarda no que tange a mobilidade elétrica e energias renováveis, e ao nível de países da Europa, Ásia e Estados Unidos.

O município busca se adequar à essa nova realidade por meio de parcerias público privadas, tendo a WEG como grande propulsora, por gerar soluções tecnológicas completas em energias limpas. O primeiro ônibus elétrico que passou a circular pela cidade, é uma demonstração fática de que Jaraguá já transita pela via do futuro, comprovando seu compromisso com a sustentabilidade.