Por Nelson Luiz Pereira_conselheiro editorial do OCP

 

Estamos em meio a uma crise pandêmica com impactos severos na sociedade e na economia. Perdas de toda ordem seguem sendo contabilizadas, mas agora, com o alento da imunização em massa.

Como meio de comunicação fortemente inserido na comunidade regional, temos sustentado que, com disciplina, critério e responsabilidade, podemos preservar vidas e negócios. É importante considerar que, emprego ou trabalho, é uma condição primordial, não só para manutenção financeira e sustento, mas, para a dignificação da vida.

Por isso, trabalho está muito além do conceito ganha-pão. Significa realização, sentido, superação e transformação pessoal.

Crises de toda natureza são intrínsecas ao processo de evolução. O diferencial entre as sociedades, está na habilidade em administrar respectivas crises, e delas tirar proveito.

Jaraguá do Sul encerrou o ano de 2020 com saldo positivo na geração de empregos. Este empenho segue se verificando nos dois primeiros meses de 2021, registrando um acumulado de 2.212 novos empregos.

Esta é uma notícia excepcional que, além de irradiar esperança, comprova que nossa região tem, por natureza, uma habilidade de assimilar com mais rapidez e clareza, as contingências, tendências e mensagens do mercado.

Nosso dinamismo empreendedor tem suplantado os efeitos devastadores da pandemia com determinação, reinvenção, foco e produtividade. Entretanto, cabe salientar que, a força geradora de empregos, não pode depender tão somente de nossa identidade empreendedora e da retomada da economia, mas, da atitude e formação de profissionais adaptados às novas exigências do mercado.

Cada vez mais, esta força geradora se orientará sobre novos paradigmas tecnológicos, que demandarão um novo padrão profissional.