De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui uma frota de pouco mais de 58 milhões de automóveis, representando, em média, um carro para cada 3,7 habitantes. Essa extraordinária densidade nos coloca entre as 10 maiores frotas do mundo.

Por conta disso, as cidades se obrigam a dispor de sistemas eficientes de estacionamentos, de formas a organizar a mobilidade. Enquanto o automóvel ainda é o protagonista da mobilidade urbana, o sistema de estacionamento rotativo continua sendo, também, a melhor solução, por proporcionar certas vantagens.

A busca por uma vaga em uma área de comércio, demandaria tempo sem o sistema rotativo, o que aumentaria, por conseguinte, o tráfego de veículos e a emissão de gases poluentes na atmosfera. Ademais, o comercio também se beneficia com a maior rotatividade dos veículos nas vagas. Além de outras vantagens, o custo desse sistema para o usuário, é inferior ao de estacionamentos privativos.

Em Jaraguá do Sul, a média é quase proporcional a um carro por habitante. Enquanto a população chega a pouco mais de 180 mil pessoas, o município conta com 127.161 carros, o que corresponde a 1,4 carro por por habitante.

Agora o sistema de estacionamento rotativo será aperfeiçoado e ampliado no município. Um novo edital entrará em tramitação, prevendo mudanças substanciais. Uma série de adequações serão introduzidas, visando, em essência, tornar o sistema mais eficiente tecnologicamente, mais amplo fisicamente, e mais justo economicamente.

De antemão, pode-se destacar que uma das relevantes inovações, diz respeito à natureza contratual do sistema. O que está em voga identifica-se como concessão de serviço, sendo que o novo será prestação de serviço. Isso significa que a arrecadação com o sistema rotativo ficará com o Município, o qual poderá, por sua vez, direcionar para projetos de melhorias nas vias, estrutura e mobilidade urbana.