A fauna silvestre possui importância determinante no equilíbrio do ecossistema de nosso planeta. Proteger e garantir que esses animais possam viver livres na natureza, é atitude evoluída e missão de qualquer sociedade comprometida com a segurança, a qualidade de vida e a sustentabilidade.

O inevitável e contínuo processo de urbanização invade e impacta, sobremaneira, o habitat natural dos animais silvestres. Os efeitos negativos que o ser humano provoca no meio ambiente, ficaram muito evidentes com a pandemia do coronavírus. Registrou-se melhorias importantes em várias dimensões, como na qualidade do ar, da água, na redução de gazes poluentes, no consumo de energia, geração de resíduos, provando quão agressiva é a ação do homem.

É preciso promover, com mais intensidade, a educação ambiental. Uma das limitações diz respeito aos cuidados com animais silvestres. Essa tarefa demanda políticas públicas e gestão da fauna, para cuidados e reintrodução à natureza.

Preocupada com essa questão, a Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul, juntamente com a Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), estuda a criação de um viveiro de passagem para abrigo e tratamento de animais resgatados, e que necessitem de reabilitação.

Atualmente a capacidade dos centros de reabilitação encontra-se esgotada. Jaraguá do Sul é um dos poucos municípios que executa esse trabalho, e o viveiro representará um aperfeiçoamento. Só nesse ano de 2022, os biólogos da Fujama já realizaram mais de 150 resgates, sendo que os animais, em sua maioria, foram reintroduzidos em seu habitat. Importante destacar que, seja qual for o animal silvestre, ele não pode ser morto.

O procedimento correto é solicitar o resgate com a Fujama (3273-8008); Ouvidoria da Prefeitura (0800-642-0156) ou, nos fins de semana e feriados, com os Bombeiros Voluntários (193).