Espera-se que o mês de abril possa ser pintado de azul por todos. Ele vai se tornando azul na medida que se eleva a consciência dos cidadãos para com a causa autista. No Brasil, o contingente de portadores do TEA - Transtorno do Espectro Autista, já ultrapassa 2 milhões, metade aproximadamente, ainda sem diagnóstico.

É nesse contexto que a discriminação se torna o grande drama para a digna inclusão do autista. Infelizmente, para grande parte da sociedade, a percepção que ainda se nutre sobre o ser humano, é a de que ele deva se encaixar em padrões sociais que remeta à normalidade convencionada.

Esses preconceituosos padrões precisam ser extirpados da sociedade, pois é essa a real patologia, e não o autismo. Por isso, ter consciência sobre o autismo é saber separar o que é senso comum do que é realidade.

Pelo senso comum, o autismo é uma sentença de exclusão social, mas, na realidade, é apenas perceber as coisas e a vida diferentemente da maioria; pelo senso comum, é um distúrbio que enclausura o portador em seu próprio mundo, mas, na realidade, é tão somente um caminho diferente de interação humana, percebendo o mundo de forma pura; pelo senso comum, é retardo mental, mas, na realidade, as mentes brilhantes pensam fora do padrão comum.

Desmistificar esses padrões, mostrando o que é a realidade, com acolhimento, sensibilidade e inclusão, tem sido o incansável desafio da AMA - Associação de Amigos do Autista de Jaraguá do Sul, que convida a comunidade a ajudar pintar o abril de azul, apoiando seus eventos. Confira detalhes na matéria da página 8 desta edição OCP. Visite também a fanpage da entidade e colabore com a causa.