A competitividade do mercado de trabalho tem feito com que as empresas se adaptem e inovem nos modelos de gestão, objetivando principalmente um crescimento sustentável, a busca por diferenciais e a motivação dos seus funcionários.

Pensando nisso, muitas empresas têm adotado o sistema da Meritocracia como forma de reconhecimento de gestores e empregados que se destacam em suas funções, visando inclusive a retenção de talentos, engajamento e produtividade dos funcionários. Trata-se, pois, de um sistema de reconhecimento das posições de destaque na empresa, levando em consideração os méritos individuais de cada pessoa, e o atingimento de metas e gatilhos preestabelecidos.

Para a instituição da Meritocracia é necessário que a empresa estabeleça políticas claras dentro da organização, de acordo com a sua realidade. Além disso, é comum que sejam propostas metas, critérios e indicadores para as avaliações. A realização de feedbacks também é muito utilizada entre gestores e funcionários neste processo, pois possibilita a transparência sobre o desempenho e o crescimento profissional.

Importante, também, que a empresa adote formas de avaliação de suas equipes através de indicadores gerais, como por exemplo metas de faturamento e lucro líquido, e, através de indicadores setoriais e individuais, visando a avaliação do comportamento, qualidade e comprometimento da equipe.

Dentre os modelos de meritocracia utilizados, destaca-se também o Partnership, muito comum no Brasil entre as organizações financeiras e empresas de auditoria e consultoria. Trata-se de sistema utilizado para a promoção de colaboradores a sócios, possibilitando que os funcionários, através do mérito e esforço de seu trabalho, ingressem na sociedade.

Este modelo, contudo, vai além do alcance de metas individuais e setoriais, pois leva em consideração, também, o valor agregado à organização como um todo, a obtenção de melhores resultados e a contribuição e preocupação com o crescimento da empresa.

Para a implementação das regras de Meritocracia na cultura organizacional, entretanto, é preciso que todas as premissas, vantagens e benefícios estejam devidamente alinhadas com a legislação e formalizadas através de documentos próprios, devendo as suas disposições serem respeitadas e cumpridas por todas as partes.

Criar um sistema de Meritocracia eficiente não é uma tarefa fácil, mas possui um papel de destaque quando se almeja o crescimento sustentável da empresa e o engajamento dos seus colaboradores, tornando o ambiente de trabalho favorável para todas as partes.

Artigo elaborado pelo advogado Célio Dalcanale, inscrito na OAB/SC sob nº 9.970, graduado em Direito pela Universidade Regional de Blumenau – FURB e em Contabilidade pela Faculdade de Ciências Administrativas de Joinville. Pós-Graduado em Direito Processual Civil, Direito Empresarial e com MBA em Direito Tributário. Sócio da Mattos, Mayer, Dalcanale & Advogados Associados. Atua nas áreas de Direito Empresarial, Direito Societário e Direito Tributário. Expert em planejamento sucessório, tributário e patrimonial de bens de sócios e diretores de empresas.