A cirurgia do quadril por vídeo vem crescendo muito nos últimos dez anos. Desde o nosso caso mais famoso, do tenista Gustavo Kuerten, que fez o procedimento nos EUA há 20 anos, as técnicas cirúrgicas evoluíram muito.

Se a cirurgia dele tivesse sido realizada hoje, com as técnicas mais modernas, talvez o tenista pudesse ter jogado mais tempo e prolongado a carreira.

Quando terminei meus estudos do quadril na universidade em 2004, a cirurgia de vídeo de quadril ainda estava engatinhando. Naquela época, imaginava que o procedimento por vídeo iria aumentar muito, mas o que eu queria naquele momento era voltar para Jaraguá do Sul, trabalhar nos hospitais e conhecer e adquirir primeiro a experiência da minha pratica diária.

Portanto, foi o que eu fiz, em 2007, pois me interessei muito pela cirurgia por vídeo pouco invasiva. Fui atrás de cursos e fiquei morando mais um ano em Curitiba, aprendendo novas técnicas na traumatologia esportiva da universidade federal.

Naquela época, a situação dos hospitais era precária em Jaraguá. Não tinham a estrutura de primeiro mundo que possuem hoje. Mesmo que eu fosse para os EUA, pouco proveito teria aqui com os poucos equipamentos. Os hospitais cresceram, a comunidade investiu forte nas unidades, adquiriram excelentes equipamentos de vídeo e imagem compatíveis com os melhores hospitais do mundo.

Portanto, me senti preparado para ir para os EUA trazer novas técnicas cirúrgicas de vídeo de quadril para realizar aqui nos nossos pacientes, sem que eles necessitem ir para outras cidades. Faço vídeo do quadril há três anos em Jaraguá.

A experiência foi adquirida e, agora, é correr atrás das novidades, mas, estou muito feliz com os resultados. É uma cirurgia que tem suas indicações precisas e que presenta riscos e complicações como todas as outras. Converse com o seu médico a respeito.

  • Daniel Antonio Wulff - CRM 8535 - Médico dos atletas e pós-graduado em cirurgia de joelho e quadril