O mundo está em constante evolução e as mudanças são intensas. A indústria 4.0, marcada pelas tecnologias emergentes, avança em várias direções e impacta também o âmbito educacional, que no último ano sentiu avanços tecnológicos significativos. Em meio a este cenário, a escola reflete seu papel na formação dos jovens. Há pouco, o foco ainda era preparar os estudantes para trilharem uma área específica, o que já não é mais suficiente. É preciso que se desenvolvam habilidades em diversas áreas. Esta nova configuração clama por uma atuação docente diferenciada. O conceito de Lifelong Learning – o aprender constante, ganha força e se configura necessário. Assim, a qualificação dos processos de ensino e aprendizagem interdepende de uma efetiva atuação docente.

No grupo Marista, esta reflexão é parte inerente do DNA da instituição. Desde a sua fundação, há uma constante preocupação com o desenvolvimento profissional dos irmãos e leigos maristas que se dedicam à missão de educar. Sempre pautada nos valores introduzidos por nosso fundador.

Entendendo o poder transformador da formação continuada, a oferta de programas de desenvolvimento profissional é uma constante na instituição. Iniciativas como PDI – programa de desenvolvimento individual, CAMAR - caminhada de aperfeiçoamento Marista, além das formações para os docentes - nacionais e internacionais, que priorizam o estudo, a pesquisa e a reflexão nas mais atualizadas concepções educacionais são alguns dos exemplos de como se busca concretizar hoje, os projetos idealizados por nosso fundador há mais de dois séculos.

Os frutos deste cuidado com a formação evidenciam-se na atuação docente. Os projetos desenvolvidos em nosso colégio têm sido destaque em âmbito regional, nacional e internacional. As práticas criativas, atuais e inovadoras fomentam parcerias entre colégios da rede, e escolas locais. No ano de 2020, uma parceria entre colégios Maristas trouxe palestras e aulões preparatórios para o ENEM para os jovens do Ensino Médio. Projeto ampliado para parcerias com colégios públicos e privados de nossa cidade. No segmento dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, os projetos de intervenção social (PIS), desenvolvidos com os estudantes vem se destacando nos últimos anos, e em especial no ano passado, resultando na socialização de boas práticas na rede Marista de colégios. Nele as crianças têm a oportunidade de refletir e problematizar a realidade em que vivem, propondo soluções viáveis. A participação ativa das crianças fomenta o seu protagonismo.

Assim, voltamos a reflexão inicial e nos questionamos: estamos sendo eficientes nesta desafiadora tarefa de formar jovens para futuros tão incertos? Apesar de não temos a resposta, as evidências nos levam a crer que estamos no caminho certo, quando desenvolvemos olhar atento à formação docente, e desenvolvimento profissional. Além disso, a busca incessante na formação de cidadãos éticos, justos e solidários nos inspira.

Fabiane Grutzmacher de Paulo, coordenadora de Internacionalização do Colégio Marista São Luís, graduada em letras português e inglês, pós graduação em orientação e gestão escolar, e em Neuropsicopedagogia, certificação em CAE e em TEFL, fluente em inglês, espanhol e alemão.