“Amor, fé e disciplina: a receita da paternidade”

Foto divulgação

Por: Colégios Marista - São Luis

09/08/2021 - 09:08 - Atualizada em: 09/08/2021 - 16:41

Ser pai — e de seis filhas — é o maior presente que eu poderia ganhar da vida. Hoje em dia isso parece loucura, mas nós temos uma vida realizada e alegre, cheia de companheirismo e muita tagarelice.

A questão não é quantos filhos ter, e sim, “o que fazer para que meu filho seja saudável, feliz e realizado”? Já dei spoiler no título: a receita da paternidade é amor, fé e disciplina.

Amor

A minha definição de amor mudou depois que li o livro “As 5 Linguagens do Amor”, de Gary Chapman. Para fazer um filho que tem Palavras de Afirmação como linguagem do amor se sentir amado, você pode elogiar; apreciar; exaltar; respeitar e valorizar. Sei que são palavras sinônimas, mais releia com calma cada uma, pensando na relação de vocês. Elogiar no sucesso é fácil, mas um pai de verdade apoia nas dificuldades e quedas.

Já se a linguagem do amor dele é Tempo de Qualidade, faça valer ao máximo o seu tempo juntos, batendo papo; praticando esportes; cantando; dançando juntos e passeando. Os Presentes são outra linguagem: seja qual for o presente ou o seu valor, o filho que o recebe se sente valorizado. Pode ser uma flor, um docinho, um bilhetinho… certamente terá significado em sua vida.

Tem também os Gestos de Serviço, que colocamos em prática quando preparamos um lanche; consertamos algo; o levamos a casa de um amigo (o “paitorista”) ou ajudamos nos deveres (o “paidagogo”). Por último, a linguagem do Toque Físico pode ser demonstrada com abraços, massagens, lutinhas, mãos dadas e cafuné. Agora, o desafio é descobrir qual a linguagem de amor predominante no seu filho.

Um pai deve fazer seus filhos se sentirem amados por Deus e fazê-los saber que esse Deus pode tudo e fará tudo para vê-los felizes. É como na frase de São Marcelino Champagnat: “Não posso ver uma criança sem sentir o desejo de fazer-lhe compreender o quanto Jesus Cristo a amou”.

Disciplina

A disciplina nos torna melhores e mais felizes. Nossos filhos precisam de normas de conduta que os levem a ter uma vida santa e comprometida com a sociedade e com a sua própria felicidade.

E, para terminar, a escola do seu filho também deve traduzir esses valores. Me sinto seguro em ser um pai Marista, pois vejo na escola e na vida das minhas seis filhas o amor, a fé e a disciplina.

Luiz Fernando Ribeiro Guimarães, o professor Lula da escola de música Santa Cecília, é formado em licenciatura em Música pela Universidade Claretiano e pai Marista desde 2015