"Direito: um dos cursos mais tradicionais do país segue se reinventando"

Cleiton Vaz - Reitor do Centro Universitário Católica de Santa Catarina
Cleiton Vaz - Reitor do Centro Universitário Católica de Santa Catarina

Colunistas

Por: Palavra do Reitor

quinta-feira, 07:00 - 31/03/2022

Palavra do Reitor
O Brasil é o país com maior número de faculdades de Direito no mundo, contando com mais de 1.500 cursos para formar bacharéis na área. Esse índice vem sendo construído desde 1827, quando surgiram as primeiras capacitações jurídicas em território nacional. São Paulo e Olinda foram as localidades escolhidas para abrigar esta nova vanguarda no ensino, devido principalmente à situação geográfica – uma para atender o Sul e outra para suprir as necessidades dos habitantes do Norte do Brasil.
A ideia de instalar institutos de educação superior em Direito veio primordialmente da lógica que marcou a independência do Brasil junto a Portugal, em 1822, de autonomia nacional, de construção de uma identidade como tal, e de formar aqui uma “inteligência” própria. Em busca de nova lei e consciência, pretendia-se formar uma elite intelectual independente das escolas portuguesas e francesas.
Um dos fatores que mantém o curso como uma grande tradição no país é o mercado de trabalho, que permanece aquecido e, cada vez, com mais possibilidades de atuação. Isso porque a formação em Direito não se limita ao trabalho nos tribunais. Além de uma grade curricular abrangente, aprofundando sobre áreas como civil, penal, administrativo, previdenciário, ambiental, da família, do consumidor, eleitoral, trabalhista, internacional e tributário, existem também, diversas opções de especializações.
Hoje, por exemplo, direito ambiental, imobiliário e digital se destacam pela alta procura. Na Católica SC, contamos com pós-graduações voltadas à área, como Análise Econômica dos Negócios Jurídicos, Balística aplicada ao Direito, Direito do Trabalho e Ações Trabalhistas, Direito Digital, Inovação e Novas Tecnologias, Direito Matrimonial Canônico e, Licitações e Contratos.
É importante reforçar, aos egressos e futuros egressos, como a especialização contribui para a taxa de empregabilidade, sendo um grande diferencial competitivo. Ser referência em um segmento específico também aumenta as perspectivas salariais do profissional e abre um leque ainda maior de oportunidades.
Entre as áreas mais visadas do momento, cito a pós-graduação em Direito Digital, Inovação e Novas Tecnologias. Nela, os alunos compreendem os impactos gerados pela velocidade exponencial da inovação e as repercussões da interação da tecnologia com o Direito. Também são abordadas as mudanças provocadas pela operacionalização das atividades jurídicas, as potenciais influências do setor no mercado tecnológico e os efeitos da regulação produzidos pela evolução jurisprudencial.
Para os bacharéis que se especializam neste segmento, surgem oportunidades trazidas pela inovação e alta relevância da tecnologia da informação no mundo de hoje. Disciplinas como transformação digital, privacidade e proteção de dados, crimes digitais, e-commerce e direito do consumidor, startups, indústria 4.0 e propriedade intelectual na era da internet fazem parte desta pós-graduação.
Outra importante especialização para os egressos de Direito é a de Licitações e Contratos, voltada à Administração Pública. Sabe-se, porém, que o conhecimento apenas da legislação não é suficiente para garantir o sucesso da licitação, por isso, esse programa foi estruturado para proporcionar aos alunos, além do aprendizado teórico, a vivência prática dos principais desafios que permeiam o tema, com a participação de um corpo docente que possui vasta experiência.

Com esses exemplos, observamos como o Direito é uma área ampla e democrática, e percebemos o motivo para atrair tantos estudantes no país, desde 1827, sempre se reinventando e adaptando-se às novas nuances da sociedade.

Palavra do reitor Cleiton Vaz Católica SC

×