No Brasil, 51% das crianças que estão em fase de alfabetização na rede pública mantiveram o mesmo estágio de aprendizado que tinham antes da pandemia, ou seja, não aprenderam nada novo, conforme um estudo divulgado na Agência Brasil. Esse resultado demonstra um desafio que demandará muito trabalho cooperativo para a retomada da formação de estudantes, desde a mais tenra idade. Sabemos que a educação é a grande promotora de transformações na sociedade e que sem ela, o crescimento econômico e a equidade social ficam comprometidos, dessa forma, a união de forças em solidariedade aos que mais precisam se apresenta como uma saída para o desconfortante quadro que se apresenta.

Solidariedade é um dos valores da Católica de Santa Catarina. Buscamos incentivar de forma contínua, ações que possam colaborar com a superação dos desafios da nossa região. Um exemplo recente e que quero destacar, na qual quase 50 voluntários, dentre eles docentes, estudantes da instituição e colaboradores da empresa WEG se uniram para dar suporte a estudantes de 6º ao 9º ano no aprendizado de Matemática. São aulas gratuitas, aos sábados, e que buscam compensar as perdas causadas pelo longo período da pandemia de covid-19.

A solidariedade é assim: além de um esforço individual de pessoas que buscam o melhor para a sociedade onde vivem, ela pode e deve ser apoiada por instituições e organizada em forma de suprir necessidades locais ou regionais, pois a junção de esforços proporciona efeitos sinérgicos que potencializam os efeitos benéficos dessas iniciativas.

Não obstante, posso ainda citar quase uma dezena de projetos sociais da Católica de Santa Catarina, alavancados pelo programa de bolsas do Estado de Santa Catarina, o Uniedu. Para entender como eles funcionam é muito simples: cada estudante que recebe uma bolsa social do Uniedu, deve, necessariamente, dar uma contrapartida para a sociedade, dedicando 20 horas de trabalho social durante o semestre letivo. Atualmente, cerca de 800 bolsistas do Uniedu serão beneficiados neste segundo semestre de 2021, o que resulta em aproximadamente 16 mil horas de trabalho social. As atividades são orientadas por docentes da instituição e realizadas, na maioria das vezes, em parceria com entidades governamentais, empresas e terceiro setor, sempre buscando levar o conhecimento desenvolvido dentro dos muros do Centro Universitário na forma de ações concretas para a transformação social.

Além das bolsas sociais, o Governo de Santa Catarina oferece recursos para o Proesde - Programa de Educação Superior para o Desenvolvimento Regional, com foco em intervenções que valorizem os conhecimentos prévios e experiências dos participantes, integrem os conhecimentos acadêmicos e científicos com a prática cotidiana, desenvolvam a capacidade crítica e criativa e atendam às demandas locais. No ano de 2021, a Católica de Santa Catarina lidera projetos para adequação de espaços públicos de recreação infantil com equipamentos sustentáveis. As áreas beneficiadas são no bairro Jardim Paraíso, em Joinville, e no Parque de Eventos Alfredo Pasold, em Schroeder, e oriundas de parcerias com a Amunesc (Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina) e a Amvali (Associação dos Municípios do Vale do Itapocu); e contam com o aval da SED (Secretaria do Estado da Educação) e da Prefeitura de Joinville. A união de esforços como os mencionados expandem os horizontes e levam melhoria da qualidade de vida e educação por onde passam.

Para finalizar enfatizo que, além de poder contribuir com verdadeiras transformações na região enquanto ainda estudam, os profissionais formados pela Católica carregam consigo para toda vida o valor da Solidariedade, que os torna não apenas excelentes profissionais, mas também pessoas dedicadas a fazer o bem ao próximo.

Palavra do reitor Cleiton Vaz Católica SC

www.catolicasc.org.br Tel.: 0800-600-0005