A tecnologia veio para nos ajudar, tornar nossas vidas mais fáceis, porém, quando se trata de postura não é isto que acontece. Com os avanços nos smartphones, computadores, videogames, o excesso do uso desses aparelhos vem sendo cada vez mais frequente e o número de pessoas sedentárias também vem aumentando.

As pessoas têm trocado exercícios físicos por redes sociais e séries de televisão, mas, até onde isso nos prejudica? Como a maioria das pessoas hoje trabalham sentadas, a coluna acaba se mantendo em uma postura de flexão, invertendo a curvatura natural que ela tem (lordose).

Isso acaba gerando uma descarga de peso inadequada nos discos intervertebrais, que levam a uma desidratação dos mesmos, no caso de uma pessoa que senta da forma correta. Agora, imagine em uma pessoa que senta com o quadril na ponta da cadeira, ficando quase deitada.

Quando ela sai do trabalho e vai para casa, o que ela faz? Joga-se no sofá para uma maratona de séries, mantendo sua coluna em má postura por mais tempo. Com a falta de exercícios físicos e a má postura por tempo prolongado, as dores na coluna aparecem.

Já no pescoço, o uso desenfreado de smartphones levou ao aparecimento de uma síndrome chamada “Pescoço de Smartphone”. Da próxima vez que você for comer em um lugar público, tente contar quantas pessoas estão fazendo uso destes aparelhos durante o tempo que estiver ali, observe também a postura em que a maioria das pessoas ficam durante o uso deles.

Essa postura de ficar com a cabeça projetada para frente e olhando para baixo leva a problemas da coluna cervical e torácica. A carga em cima da cervical quando mantemos essa postura é muito grande, gerando stress nos tecidos musculares da região e das articulações vertebrais.

Para se ter uma ideia, quando mantemos nossa cabeça em ponto neutro temos uma carga cervical de 6kg. Ao inclinarmos a cabeça para frente em 60º, o peso vai a 27kg e quem tem que sustentar esses 21kg a mais são os músculos da cervical e torácica, levando ao aparecimento de dores posturais e, futuramente, degenerações dos discos intervertebrais.

O uso adequado da tecnologia, a manutenção da boa postura e a prática de exercícios físicos são indispensáveis para a diminuição de dores na coluna. A má postura é com certeza a maior vilã da nossa coluna e o que venho observando é que as pessoas têm vindo procurar um tratamento para problemas sérios cada vez mais cedo.

O que era uma doença da terceira idade hoje vem acometendo, na grande maioria, pessoas de 20 a 50 anos, pessoas na fase produtiva. Se você tem dores na coluna lombar, torácica ou cervical, faça uma pergunta para si mesmo: “Como vou estar daqui 10 anos se continuar assim?”.

Não espere o aparecimento de problemas sérios na coluna para começar a se cuidar. Monitore sua postura e não fique sedentário, pratique alguma atividade física, assim você e sua coluna estarão cada dia mais saudáveis.

Contato: (47) 3017-8545
Endereço: Rua Pastor Ferdinand Schulzen, 194 - Centro, Jaraguá do Sul