Foto divulgação | Bom Microcrédito
Foto divulgação | Bom Microcrédito

 

Entender como é construída a taxa de juros do microcrédito é fundamental para saber o porquê e o que você está pagando.

Todas as taxas — não só as do microcrédito — são construídas levando em consideração alguns fatores: custo de captação, inadimplência, despesas administrativas, margem financeira, tributos e FGC. No microcrédito existem 4 custos principais. Vamos falar sobre eles a seguir.

Os grandes vilões

Os 2 fatores principais para a construção da taxa de juros no microcrédito são o custo de captação e a inadimplência.

Grafico por: Bom Microcrédito

Para emprestar dinheiro é preciso ter dinheiro, certo? Não é diferente por aqui. Na Bom intermediamos operações de OSCIPs que utilizam fundos públicos e privados (como BNDES, BRDE, BADESC, e investidores privados). Este dinheiro custa caro pois investidores públicos precisam remunerar seu capital, e os fundos privados necessitam remunerar seus investidores.

Sendo assim, para poder emprestar dinheiro ao seu negócio com os benefícios que oferecemos, temos esse spread (valor) de juros. O dinheiro não é de graça, e esse é o custo de captação que é somado à taxa.

Operações de microcrédito são consideradas “de risco”, pois o nosso sistema financeiro não acredita na capacidade de pagamento dos pequenos negócios e na confiabilidade do empreendedor de pequeno porte, preferindo emprestar às grandes empresas — o que acaba fazendo com que muitos pequenos negócios fechem as portas por não conseguirem acesso a crédito. É nesse cenário que o nosso segundo vilão aparece.

Muitas pessoas estão inadimplentes no Brasil — aproximadamente 65% dos brasileiros. Isso faz com que o risco das operações aumente, mesmo que você não esteja inadimplente.

A inadimplência afeta não só pessoa física ou jurídica, mas todo o sistema financeiro no Brasil. Resumindo, o fato de a inadimplência ser tão alta faz com que os fundos busquem “se prevenir” caso isso aconteça com os seus clientes, criando uma taxa sobre a inadimplência.

Outros fatores

Por último, existem mais dois fatores levados em consideração na hora de se construir uma taxa, sendo eles: despesas administrativas e margem de lucro. Esses fatores são consideravelmente menores em relação ao nossos vilões.

Provavelmente você sabe o que são despesas administrativas. Contas à pagar, salários, investimentos fixos e variáveis, etc. Esses custos representam o terceiro fator na hora de se construir uma taxa.

A margem de lucro é o menor dos aspectos contabilizados para a criação da taxa de juros, e por esse motivo aparece por último por aqui. Como o nome deixa claro, esse é o lucro da empresa em relação à operação realizada.

O que estamos fazendo para diminuir a taxa de juros

A Bom reduziu custos administrativos utilizando tecnologia para automatizar e facilitar processos. O nosso atendimento é personalizado e feito totalmente online — reduzindo despesas e beneficiando nosso cliente, que não precisa ficar em filas de banco.

Este é só o início — fintechs vieram para ficar e revolucionar o mercado financeiro, abrindo portas para setores que antes não eram atendidos e fazendo com que a educação financeira seja cada vez mais acessível.

Como solicitar o microcrédito?

Se o seu negócio está precisando de investimento para crescer e você está em busca de dinheiro para essa finalidade, a solicitação é simples: acesse nosso site www.bommicrocredito.com.br e realize a sua solicitação na aba “simulação”.

Você também pode entrar em contato pelo WhatsApp através do número: (47) 9 9955-4586.

Em nosso blog e redes sociais você também encontra conteúdos sobre empreendedorismo, microcrédito e finanças para o seu negócio. Acesse o site ou siga nosso Instagram.

Bem fácil, né? Por aqui, fazemos uma análise do perfil da sua empresa, valor solicitado e o prazo. Em pouco tempo você pode ter o dinheiro que seu negócio precisa para crescer e prosperar.