A distiquíase é o nome dado ao crescimento de alguns cílios em um lugar onde não deveriam estar, neste caso, dentro das glândulas de meibômio (glândulas que ficam bem na borda das pálpebras) e com isso, estes cílios tocam a córnea a cada piscar de olhos do cão.

Estes cílios de distiquíase podem ser únicos ou múltiplos e causam muita irritação por se comportar como um corpo estranho, o animal sente como se tive um cisco sempre arranhando a superfície ocular.

Algumas raças são muito predispostas ao problema como o Shih tzu, Lhasa Apso, Pug, Buldogue francês, Cocker Spaniel, entre outros.

O grande perigo deste problema é a tendência destes pelos causarem machucados na superfície do olho (úlceras de córnea) e estas se não tratadas de forma adequada, podem levar a perfuração ocular.

Os animais que possuem estes cílios anômalos apresentam comumente lacrimejamento excessivo, blefarospasmo (piscar repetido do olho), vermelhidão nos olhos.

Para tratar este problema, o paciente deve ser avaliado de forma individual, e pode ser escolhida uma dentre várias técnicas: epilação manual mensal com pinça, cirurgias, cauterizações ou a crioterapia.

A crioterapia é a melhor opção em termos de cirurgia, pois não há necessidade de incisão (cortes) de tecidos e este procedimento tem a tendência a manter a estrutura da pálpebra e a função das glândulas de meiobomio, eliminando o folículo do pelo causador do problema.

Seu animal está com irritação ocular persistente? Úlcera de córnea que não cicatriza? Uma consulta com o oftalmologista veterinário é essencial para se avaliar se pode estar presente estes cílios anômalos.

selo copiar.png

Texto Juliana Bernardo Fischer - CMRV 4564 | Médica Veterinária Especializada em Oftalmologia