O presidente da Câmara de Jaraguá do Sul Isair Moser (PSDB,) convocou os vereadores da para a sessão extraordinária que vai acontecer nesta quinta-feira (16), às 9h30, no Plenário da Câmara, para apreciação e votação de projetos de lei do Executivo.

Esta é a primeira atividade oficial do presidente eleito no fim do ano passado, e que desde o dia 1º de janeiro, está no lugar de Marcelindo Gruner (PTB) que comandou o Legislativo em 2019. Dico, como é conhecido, tem a missão de ser o defensor do governo Lunelli, ainda mais neste ano de eleição.
Grunner soube fazer bem este papel ano passado quando presidiu a Câmara.

Grande maioria dos projetos encaminhados pelo Executivo foram aprovados e a defesa, que o petebista e servidor de carreira da Prefeitura, fez do governo atual acabaram abafando a pouca oposição que Lunelli tem na Câmara.

Apesar da Câmara ter a primeira sessão oficial do ano marcada para o dia 4 de fevereiro, nesta quinta-feira, durante a extraordinária devem ser colocados em votação projetos encaminhados em regime de urgência pela Prefeitura.

Entre eles estão a alteração do Plano Plurianual 2018/2021 e a abertura de crédito especial de R$ 690.855,22 para inclusão de dotações orçamentárias no orçamento vigente da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos para implantação rotatória na rua Antônio Machado e pavimentação da rua Calixto Domingos Borges.

Já para a pasta de Cultura, Esporte e Lazer, será votado projeto para suporte das modalidades de rendimento e transferências a Instituições Privadas sem Fins Lucrativos no valor de R$ 336.061,94. Outro projeto da mesma secretaria refere-se ao auxílio bolsa atleta com a abertura de crédito suplementar no valor de R$ 900 mil.

Declarações machistas de deputado levam a manifestações de repúdio

As declarações esdrúxulas e machistas feitas no fim de semana passado pelo deputado estadual Jessé Lopes (PSL) levaram a uma verdade avalanche de comentários e notas de repúdio pelo que o parlamentar tem “vomitado” nas redes sociais. Lopes causou polêmica ao dizer que o “assédio é um direito da mulher” e que “massageia o ego”.

E isto não está vindo apenas das mulheres, que são a parte ofendida. Graças à sensatez de alguns políticos, que sabem que as mulheres são a maioria do eleitorado, e claro, por também serem cercados delas (mães, avós, tias, esposas, filhas) estes também estão se pronunciando usando os meios em que mais se propagam as informações, as redes sociais.

Da nossa região, o presidente estadual do PSL, deputado federal Fábio Schiochet emitiu e publicou nota de repúdio às declarações de Jessé.

Na nota consta: “O PSL de Santa Catarina repudia a declaração do deputado estadual pela sigla Jessé Lopes que causou polêmica no último sábado (11) com mensagens machistas que justificam o assédio contra mulheres. Observa o partido que em um País que, segundo o Ministério da Saúde, uma mulher é agredida a cada quatro minutos, e que de acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação, só em 2018 foram registrados 145 mil casos de violência contra a mulher, é inadmissível tal posicionamento.”

A nota finaliza destacando que o PSL não compactua com as ideias do deputado e que está ao lado das mulheres na luta por seu direitos.

Além do presidente do PSL, o deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) também publicou em sua página no Facebook declaração de repúdio ao deputado Jessé.

Em um dos trechos da publicação ele declara: “Como pai de duas mulheres, marido, cidadão e parlamentar eleito pela população catarinense, quero manifestar minha total contrariedade à declaração do deputado estadual Jessé Lopes que, ao criticar a campanha de conscientização contra o assédio durante o carnaval – “Não é Não”, defendeu que mulheres “gostam de ser assediadas”, entre outros absurdos. Assédio não é brincadeira, não é cantada, não é afago para o ego de ninguém! É crime! Fere a dignidade das pessoas, quebra o limite do respeito, provoca medo. Manifestações nesse sentido são, na verdade, a incitação de mais uma forma de violência contra as mulheres...”

Caropreso finaliza dizendo: “A boa política impõe limites. Não é Não!”

CURTAS

Limpeza

Para evitar alagamentos e garantir o fluxo das águas dos rios, a Defesa Civil de Jaraguá do Sul, começou este mês o trabalho na limpeza das pontes da cidade. Desde a semana passada, cinco pontes receberam o mutirão.

Na terça-feira, os técnicos trabalharam nas pontes da Apae, Vailatti e do Kantan. Segundo o diretor da Defesa Civil, Hiderado Colle, muitos troncos e galhos foram retirados. “Esse trabalho de prevenção é importante e dá resultado. É uma ação simples, mas que faz toda diferença”. Limpeza de galerias e bueiros também estão previstas para este início de ano.

Números

Em 2019, a Defesa Civil atendeu mais de 1.500 ocorrências; a comunicação de risco iminente de queda de árvores lidera o ranking de atendimento prestado pelo órgão com mais de 570 casos atendidos. Na segunda posição estão os atendimentos em áreas com risco de alagamentos, cerca de 250 ocorrências, e em áreas com risco de escorregamento de encosta, 210 ocorrências.

Militares da reserva para o INSS

O governo federal anunciou que vai contratar até 7 mil militares da reserva das Forças Armadas para auxiliar no atendimento nas agências do INSS e liberar servidores do órgão para reforçar a análise dos benefícios. De acordo com o secretário especial de Previdência e Trabalho Rogério Marinho, o objetivo com esta medida é pôr fim à fila de 1,3 milhão de pedidos sem análise há mais de 45 dias até o fim de setembro de 2020.

Decreto

O governo vai publicar um decreto esta semana para viabilizar as contratações. O secretário Marinho disse que há 988 mil pedidos que entram todos os meses no INSS e que não é possível zerar o estoque, mas que o auxílio dos militares deve colocar em dia o trabalho acumulado. O governo informa que os militares da reserva contratados temporariamente para essa função receberão um adicional de 30% sobre a remuneração, pago pelo próprio INSS.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger