A interdição total da SC-108, em Guaramirim, pela Defesa Civil de Santa Catarina, na noite de quarta-feira (5) muda mais uma vez o planejamento das Prefeituras de Guaramirim e Jaraguá do Sul.

A chuva intensa que caiu esta semana levou a interdição da rodovia que havia sido aberta no dia 14 de janeiro de forma provisória. O problema nesta questão é o provisório.

Não fosse o atraso na recuperação desde que o desmoronamento aconteceu em 18 de fevereiro do ano passado, talvez a população da região não estaria penando até agora com uma obra infindável, e que poderia estar pronta bem nesta época de chuvas.

Atraso este que foi decorrente de um empurra-empurra do governo estadual para o federal e que levou a obra a ser iniciada somente em agosto de 2019 e depois disso todos já sabem o desfecho: a conclusão já foi prorrogada por duas vezes.

Diante desta situação movimentações de políticos, autoridades e comunidade da região foram crescendo inclusive com a criação de uma petição do grupo chamado de “Todos pela SC-108” pedindo o término da obra e a atenção para as ruas usadas como desvio e que estão em estado deplorável.

A rodovia foi desinterditada no dia 14 de janeiro e agora fechada novamente. O reflexo desta nova interdição da SC-108, que foi necessária, por conta de que vidas poderiam ser colocadas em risco, e isso é incontestável, é que mais uma vez a população paga pela morosidade.

Além da movimentação do prefeito de Guaramirim Luís Antônio Chiodini (PP), preocupado com os moradores das proximidades da SC-108 que mais uma vez foram afetados pela chuva levando-o a decretar situação de emergência no município, a Prefeitura de Jaraguá também teve de mudar todo o planejamento que envolvia as ruas do entorno da rodovia utilizadas como desvio para o trânsito.

Na manhã de ontem, a chefe de gabinete do prefeito Antídio Lunelli (MDB), Emanuela Wolf chamou os representantes da Associação de Moradores do Bairro Ilha da Figueira para discutir sobre as vias do bairro enquanto a rodovia permanece fechada novamente.

Segundo Emanuela, a Prefeitura já havia licitado o terceiro trecho da José Theodoro Ribeiro para fazer o binário com a Via Verde e agora iria iniciar a licitação de recuperação da rua Carlos Oeschler e vias do entorno. Mas por conta do novo fechamento da SC-108, estes processos terão de esperar, já que não se pode começar uma obra de recuperação com um fluxo intenso de veículos novamente passando por estas vias.

“Por hora, a Prefeitura vai fazer a manutenção das vias. Acabou que com isso, teremos mais prejuízos com a SC-108, além de que nosso planejamento para estas ruas foi prejudicado”, lamenta a chefe de gabinete.

O secretário de Obras do município Onésimo Sell, destaca que os custos vão aumentar ainda mais para a Prefeitura com a manutenção preventiva, limpeza, caminhão-pipa,inclusive aos sábados domingos e feriados.

“Só de água com caminhão pipa em um ano de manutenção para amenizar a poeira no local para tentar melhorar a situação do comércio e moradores já foram mais de 27 milhões de litros de água”, informa.

Foto: Divulgação

Recuperação de ruas prevista em mais de R$ 3 milhões

No dia 13 de janeiro, o secretário de Obras Onésimo Sell, enviou ofício ao secretário de Infraestrutura do Estado Carlos Hassler em que informou o custo para a manutenção das ruas Carlos Oeschler, José Theodoro Ribeiro, Santa Clara, Nossa Senhora Aparecida e Gabriel Oeschler, na Ilha da Figueira, usadas como rota de passagem de veículos por causa da interdição na SC-108.

Na época, o secretário estimou o custo por rua para manutenção passa dos R$ 3 milhões sendo o maior valor o que deveria ser investido na Carlos Oeschler (R$ 2.384 milhões). Valor que agora deve ficar ainda maior com as ruas sendo novamente passagem de um fluxo intenso de veículos que passa de 15 mil carros por dia.

Pavimentação da SC-414

A pavimentação asfáltica de um trecho de aproximadamente 12,3 quilômetros da SC-414, que liga os municípios de Massaranduba, Blumenau e Luiz Alves foi o tema de uma reunião entre representantes dos três municípios, deputados estaduais e Secretaria do Estado de Infraestrutura e Mobilidade (SIE). ]

O encontro, na quarta-feira, em Florianópolis, foi mediado pelo deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) e contou também com a participação do deputado Fernando Krelling (MDB). A comitiva, composta também pelo prefeito de Massaranduba Armindo Sesar Tassi e o presidente da Câmara do município Fabiano Kempski, foi recebida pelo secretário adjunto da SIE Thiago Vieira.

O projeto para a pavimentação da via, elaborado em 2016 e com orçamento inicial de R$ 53 milhões, passará por uma nova revisão, em que a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade apontará se ainda poderá ser utilizado ou precisará de adequações para a sua viabilização. A expectativa é de que em 90 dias, se tenha um retorno do Estado. Tassi disse que saiu confiante do encontro. “Vamos continuar cobrando e trabalhando junto aos nossos parlamentares para que essa demanda da população seja atendida”, comentou.

Foto: Divulgação

 

CURTAS

Suspensão

O PSB decidiu, por unanimidade, após reunião realizada esta semana, que vai retirar a suspensão do deputado federal Rodrigo Coelho das atividades partidárias na Câmara dos Deputados. A pena, que duraria 12 meses, havia sido aplicada ao catarinense no dia 30 de agosto do ano passado, após voto favorável à reforma da Previdência. Na época, Coelho ressaltou que votou por convicção e por considerar que, após as discussões e devidas alterações, a proposta ficou justa.

Justificativa

De acordo com a decisão do PSB, Rodrigo Coelho deverá ter a “completa reinserção” no cotidiano da bancada na Câmara e nas atividades partidárias. A decisão foi tomada por uma Comissão Especial criada pelo Diretório Nacional do partido. Rodrigo Coelho também foi renomeado presidente do Diretório em Joinville. O deputado esclarece, no entanto, que segue com o processo no Tribunal Superior Eleitoral - TSE para ter direito à desfiliação do PSB. A decisão do TSE deve sair no início de março.

Comando

O presidente da Câmara de Vereadores de São Francisco do Sul Álvaro José Siebers (PPS) assumiu ontem a Prefeitura do município. A posse do parlamentar é resultado da decisão do TER, que cassou o mandato do prefeito, Renato Gama Lobo, e do vice-prefeito da cidade, Walmor Berretta Júnior, – ambos do PSD – no dia 30 de janeiro. A decisão da cassação foi embasada no suposto abuso de poder econômico que teria ficado comprovado por meio de pedido de voto através da oferta de vantagens e ameaça velada de perda de emprego. A posse de Álvaro é em caráter interino até que novas eleições sejam realizadas na cidade.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul