Foto divulgação.
Foto divulgação.

A pintura é um dos fatores que vão interferir na decoração da sua casa, e uma composição de cores que não combinem entre si pode desvalorizar muito a edificação. A variedade de modelos e texturas que podem ser aplicadas é imensa, sem contar nas inúmeras combinações de cores que podem ser abordadas, portanto, será realizado um resumo dos tipos mais usuais e também dos não tão utilizados.

As tintas mais usuais são: látex (a mais simples, a base de água e recomendada para ambientes internos como salas e quartos), acrílicas (impermeáveis, utilizadas em cômodos que são lavados com frequência, como áreas externas, cozinhas e banheiros), epóxi (recomendada para locais com contato direto com a água, pois possui alta resistência a umidade), esmaltada (recomendada para aplicação em outros superfícies, como madeira e metal)

Dentre as tintas menos usuais, temos as tintas lousa, que lembra muito o quadro negro de escola e possibilita a personalização dos ambientes com frases e desenhos. Esta tinta é um esmalte sintético, que cria uma película de proteção contra a sujeira e facilita a limpeza. Elas são muito utilizadas em casas com crianças, escritórios e ambientes com ar mais urbano.

Semelhantes a elas, com a mesma ideia de conferir descontração ao cômodo, existem as tintas magnéticas, que levam em sua composição partículas de ferro que não enferrujam, não sendo um ímã, mas uma superfície sobre a qual imãs podem ser afixados.

Existem tintas que conseguem imitar efeitos, como o cimento queimado, que foi muito utilizado na CASACOR 2019 devido a sua praticidade e estética, conferindo um ar industrial e moderno ao ambiente de uma maneira bem mais rápida que a original; há também àquelas que imitam tecidos, como seda e veludo, com um toque macio e único, transmitindo a sensação de aconchego.

As tintas emborrachadas, por sua vez, possuem propriedades de redução térmica e acústica, além da alta flexibilidade e resistência a maresia e mofo, sendo muito indicada para edificações próximas do mar ou onde há muita variação de temperatura.

Dentro do quesito sustentabilidade, existem as tintas ecológicas, feitas com produtos naturais que não possuem componentes sintéticos ou substâncias derivadas de petróleo, podem então ter origem mineral, vegetal ou de insumos de animais e todo seu processo, desde a produção, o descarte e os produtos utilizados na limpeza são analisados.

Tintas solares, que capturam a luz solar e convertem em energia elétrica, estão sendo estudadas por todo o mundo, mas no mercado para o público em geral ainda não existe nada disponível, infelizmente, pois sua utilização é muita aguardada.

Artigo escrito pelas arquitetas e urbanistas Jeanita Bonato (CAU/SC A135996-7) e Mariana Silva (CAU/SC 199214-7).

-

Onde encontrar a Eixo 11: rua Pres. Juscelino, 45, Ed. Ana Isabel, sala 02, Centro de Jaraguá do Sul • (47) 3370-0070 • 9 9942-6030 | FacebookInstagram