Para ajudar você a identificar esses erros ainda a tempo de mudar, listamos abaixo alguns dos mais comuns nos projetos de casas. Confira:

  1. A comunicação com o projetista arquiteto ou engenheiro civil é o principal deles, você deve deixar bem claro o que deseja desse projeto, o seu programa de necessidades e qual o valor disponível para investimento;
  2. “A forma segue a função”, frase de Louis Sullivan, e significa que primeiro deve ser definido o que deseja de um espaço ou projeto, para obter o tamanho, por exemplo: os móveis com suas dimensões e espaços de circulação corretos dentro de um ambiente resultará no seu tamanho.
  3. Escala correta: o profissional responsável pelos projetos deverá utilizar os móveis dentro da escala, no tamanho real, caso contrário o proprietário terá uma decepção muito grande em constatar que no ambiente não cabem os móveis que desejava com ergonomia e funcionalidade.
  4. A escada deve ser projetada respeitando as medidas mínimas e máximas em relação ao degrau, espelho, e patamar, que garantem conforto e sobretudo segurança. O degrau ideal tem a altura do seu espelho de 17,5 a 18 cm e a pisada do degrau de 28 cm.
  5. As soleiras no piso ou pingadeiras das janelas tem importante função, elas protegem as esquadrias e a fachada evitando que a água da chuva se acumule e deixe marcas ao escorrer pela parede. O ideal é que tenham uma leve inclinação para que a água não fique acumulada.
  6. A pressa é inimiga de um projeto, um projeto bem feito precisa de um tempo para ser feito e analisado pelos profissionais e clientes. Os móveis devem ser desenhados para que não conflitem com aberturas de portas e janelas. Exemplos muito comuns disso são corredores muito estreitos, que não deixam espaço para guarnecer a porta do final do corredor, portas próximas demais ao canto da parede, não tendo espaço para as vistas, box dos banheiros estreitos - que você bate os cotovelos nas paredes ao lavar o cabelo, armários embutidos que são pouco profundos e obrigam a deixar os cabides em diagonal.
  7. O correto dimensionamento de aberturas resulta em iluminação, ventilação natural e conforto, e facilita a passagem de pessoas e móveis.
  8. Tomadas faltando nos projetos. É primordial definir o que terá em cada ambiente para que não passe desapercebido a necessidade de tomadas.
  9. Olhar para o entorno da construção ao se projetar, por exemplo: para que a janela do seu quarto não dê de frente para a janela do vizinho te traz liberdade de dormir com a janela aberta e também evitar dormitórios para varanda ou área de festas dos vizinhos.
  10. Posição solar, uma casa que não foi projetada com a preocupação da posição solar traz desconforto aos usuários, o banheiro pode ser muito úmido no inverno e o dormitório muito quente no verão. Levar em conta a posição do sol torna o cotidiano agradável além de muitos benefícios à saúde de sua família.

Um projeto deve prever o dia a dia dos moradores, e todos os detalhes são importantes, pois você viverá nesses espaços, e enquanto é projeto, tudo poderá ser corrigido e muitos problemas evitados.

 

Onde encontrar a Eixo 11: rua Pres. Juscelino, 45, Ed. Ana Isabel, sala 02, Centro de Jaraguá do Sul • (47) 3370-0070 • 9 9942-6030 | FacebookInstagram