Ao chegar em uma edificação, o que observamos por primeiro é a fachada, a junção dos materiais, da composição de cores, do telhado, da vegetação e das esquadrias e como elas refletem o estilo de seu interior e de seus proprietários. Como já foi abordado anteriormente, existem diversos estilos, que vão do clássico ao contemporâneo, cada qual com suas características para agradar os mais diversos perfis.

A porta de entrada é um dos principais elementos na fachada, recepcionando os proprietários e seus convidados, por isso muitas vezes possui características diferentes das demais portas da edificação.

Trabalhar com as características da porta de entrada exige um olhar técnico para compor com as demais características da casa e dimensões apropriadas.

Falando em dimensões, esta porta geralmente é maior que as demais, possuindo aberturas que vão dos tradicionais 80cm até as mais suntuosas com seus mais de dois metros de largura. Além disso, a porta de entrada é a única que pode “quebrar” o alinhamento superior (linha imaginaria que alinha as esquadrias em uma mesma altura), possuindo do clássico 2,10m e indo até mais de 5 metros, tudo isso claro precisa ser estudado para adequar a estrutura, estilo e o mais importante, ornar com a construção.

Os matérias que podem compor a porta de entrada também são diversos, sendo o mais utilizado a madeira, seguido pelo vidro e pelo metal (aço cortein, ferro ou alumínio). Outra forma muito utilizada é a composição de dois ou mais materiais, criando características únicas e conferindo um estilo exclusivo, como a mistura de madeira com vidro ou com metal.

Além do material, existe ainda a possibilidade de escolher uma cor bem diferente que se destaque do restante da construção, como o vermelho, amarelo ou azul, ou alguma cor de destaque, como o branco ou preto (dependendo da cor predominante na fachada).

A porta ainda pode variar no tipo de abertura, sendo do tipo convencional com dobradiça (que abre em sua totalidade para a esquerda ou direita), porta pivotante (sem dobradiça, girando entorno de um pivô localizado dentro da porta e criando um vão duplo), porta de correr (com ou sem a roldana aparente), portas duplas ou porta de embutir (que corre para dentro da parede).

Lembrando que não existe um modelo que seja o melhor, mas sim aquele que mais lhe agrada, ou o que é mais tendência no mercado, ou ainda aquele que você está disposto a pagar. Todos os modelos têm qualidades e defeitos, cabe aos proprietários decidirem qual preferem.

Artigo escrito pelas arquitetas e urbanistas Jeanita Bonato (CAU/SC A135996-7) e Mariana Silva (CAU/SC A150451-7).

-

Onde encontrar a Eixo 11: rua Pres. Juscelino, 45, Ed. Ana Isabel, sala 02, Centro de Jaraguá do Sul • (47) 3370-0070 • 9 9942-6030 | FacebookInstagram