O sol aparece, a temperatura sobe e as propagandas de projeto verão bombam na internet. Os projetos milagrosos de três meses prometem resultados incríveis. Aí você, que passou o ano todo grudado no sofá, levanta com toda a empolgação e corre fazer sua inscrição, afinal você está todo animado para mudar sua rotina de maneira radical, com a meta de entrar em forma o mais rápido possível.

Projeto verão é tudo o que você sonhou, é a solução de todos os seus “problemas” adquiridos diante de todas as delícias consumidas e os filmes assistidos durante o ano. Antes mesmo de colocar o seu pé numa esteira, vai até a loja de esportes, compra o melhor tênis, a calça da blogueira famosa e enche a geladeira e os armários com comida leve e saudável.

No primeiro dia, já quer fazer todos os exercícios, mesmo que eles ainda não estão prescritos a você. Segue fielmente sua rotina diária de estar realizando o mágico projeto verão e o celular está cheio de selfies dos exercícios, da galera da academia e com a famosa frase, “de hoje está pago”.

Como não seria diferente, no final desta primeira semana mal consegue mexer as pernas, as costas começam a doer e passa o domingo todo deitado de tanto desconforto que sente. Literalmente o mundo caiu, pois não imaginava que poderia sentir tantos músculos de uma vez só.

Segunda-feira não consegue ir, afinal ocorreu um imprevisto e ainda sente dores pelo corpo. Na terça resolve ir caminhando para o trabalho, afinal caminhar é atividade física. Na quarta percebe que está ficando resfriado e assim se passam uma, duas, três semanas e aquele Projeto Verão, ficou para o ano que vem.

E não sou eu que estou falando da fuga, é comprovada pelos pesquisadores da Oswaldo Cruz em um estudo publicado em 2016. Em até três meses, 63% dos alunos matriculados acabam abandonando suas atividades físicas.

Ao fim dos primeiros doze meses, apenas 4% das pessoas continuam realizando algum tipo de exercício. É uma estatística negativa e assustadora.

O que eu quero falar é que as pessoas buscam respostas rápidas, com alguns dias de dedicação máxima para sair do sedentarismo e alcançar o corpo perfeito. Mas aquela empolgação toda acaba assim que se percebe que os resultados duradouros só serão alcançados com mudanças realizadas a médio e longo prazo.

As mudanças devem ser de hábitos e não apenas de atitude. Não podemos chegar aos cem sem iniciar pelo zero e percorrer todo o caminho. Claro que todos querem ter um corpo bonito para mostrar o biquíni novo, mas para manter o corpão, é necessário começar no verão anterior, manter nas demais estações com o mesmo ânimo e chegar no verão usufruindo dos resultados.

Manter a atividade física por tempo indeterminado é como escovar os dentes, ou você escova somente dias antes de visitar o dentista? Está na hora de parar com estas induções absurdas de projeto verão, estimulem as pessoas a cuidarem da sua saúde e a terem qualidade de vida.

Talvez este marketing não seja feito porque a procura pelo corpo perfeito em curto prazo é maior, do que ser saudável a vida toda. Lidar com corpo exige disciplina, comprometimento e dedicação, mas acima de tudo, uma grande mudança de mentalidade, porque o corpo aceita quase tudo, é a mente que precisa ser mudada.

Mas claro, esta é a minha humilde opinião, de uma profissional que trabalha há 15 anos com movimento e já viu quase tudo nesta trajetória. Falo quase tudo, porque ainda consigo ficar chocada com histórias que escuto sobre promessas instantâneas.

O único resultado que se tem são frustrações, lesões e mais lesões para tratar. Não existe receita milagrosa. Conhece o devagar e sempre? Então comece hoje e mantenha sua rotina, permitindo que o tempo faça seu papel.

Clínica Ser

Matriz: Rua Cel Bernardo Grubba, 62 • Contato: (47) 3371-6022
Filial: Av. Parque Malwee, 70, Barra do Rio Cerro • Contato: (47) 3273-1735