Foto Pixabay
Foto Pixabay

Quando você se olha no espelho, você enxerga a pessoa que sempre sonhou em ser? E se você fosse 20 kg mais pesado, o seu olhar sobre você seria o mesmo? Você está pronto para dizer o que você é?

Entender o que somos é entender o seu valor, que não é necessário investir seus recursos naquilo que não reverbera, naquilo que não faz sentido em você.

É preciso entender que a nossa vida tem um significado, e recobrar a consciência de quão significativos nós somos. Avaliar as escolhas que estamos fazendo, os direcionamentos que estamos tomando. Porque quando há vontade, há um caminho, mesmo se no meio da caminhada, os rumos seguirem direções diferentes do planejado.

Acionar à vontade não significa estar motivado o tempo todo, até porque não sustentaríamos isso, nem fisicamente e nem emocionalmente. Vivemos de ciclos e terão dias que estaremos muito empolgados e dias que a motivação não se faz presente.

E qual papel você assume, o de pelo menos fazer o mínimo nos dias ruins para colocar um tijolinho na sua história, ou o papel de vítima, numa posição segura e confortável por não fazer nada? A escolha é fundamental, ou mantém a imunidade emocional, ou se mantém permanentemente nesta condição de “eu não consigo”.

A lei da mente é implacável, o que a gente pensa a gente cria, o que a gente sente é o que a gente atrai e o que acreditamos se torna realidade. Sabemos que fazer exercício físico é praticamente inquestionável e o corpo humano é uma máquina programada para se movimentar, ser ativa, que aceita muito bem aos estímulos.

Quando nos olharmos no espelho com os 20kg a mais, seria maravilhoso levar apenas o corpo para se exercitar e deixar de lado tudo o que sentimos e pensamos sobre nós. Mas é impossível separar essa tríade, corpo, mente e alma e resolver separadamente. Somos um ser único.

Se pararmos de seguir padrões e começarmos a dar espaço para fazer o que é essencial para nós mesmos, se autoconhecer, assumir as próprias vontades, sem anulação, podemos encontrar motivação para sair da procrastinação.

A lagarta para virar borboleta, constrói um casulo, passa pelo processo de transformação sozinha e quando se transforma, não sabe se irá voar, nem que espécie de borboleta será e muito menos, se viverá mais dentro do casulo ou como borboleta. Mas o resultado foi a escolha da ação.

Quem se renova é sempre mais interessante. Olha para o espelho e veja o que sobrou das suas escolhas, usa o que sobrou para plantar coisas que vão manifestar resultados melhores, somos capazes de nos regenerar. E essa é a maravilha de sermos nós, o processo que se vive, as mudanças que acontecem no seu tempo, a disciplina que criamos quando nos propusemos deixar de ser vítimas e acreditar no realmente queremos.

A vida é dinâmica, inconstante e somos reflexos disso, não há como negar. A inércia não é eterna, tudo tem um prazo, inclusive nós. Vivemos na finitude, aceitar o caminho de se sentir bem para se redescobrir com saúde plena é não esperar a vida te sacudir e você decidir agir.

Nós somos as nossas escolhas, o despertar da nossa consciência, acreditando que sempre podemos recomeçar.

Andréia Chiavini Pilates e TRX

Endereço: Rua José Theodoro Ribeiro, 1051, bairro Ilha da Figueira

Contato: (47) 9 9983-3419 (WhatsApp)
Redes sociais: Facebook e Instagram | Site: www.andreiachiavini.com.br