Um vídeo divulgado há algumas semanas nas redes sociais mostra que a empresária de São Francisco do Sul, encontrada morta nesta quinta-feira (25), em Araquari, estava sofrendo ameaças.

Na gravação, publicada no Facebook, Cátia Regina da Silva, 46 anos, diz que não quer tirar o espaço de nenhum comerciante, quer apenas seguir trabalhando, ganhando o dinheiro dela de forma honesta.

Cátia tinha uma loja de confecções na localidade da Reta, em São Francisco do Sul. Constantemente ela viajava a São Paulo para buscar mercadorias e reabastecer o estoque. Foi na volta de uma viagem destas, na última terça-feira (24), que a empresária desapareceu.

Por volta das 22h30 de terça, Cátia enviou uma mensagem à família dizendo que já estava em Joinville, havia pego o seu carro na rodoviária e seguia para casa. O trajeto demoraria cerca de 20 minutos. Cátia nunca chegou.

O carro dela foi encontrado incendiado na manhã desta quinta-feira na região do Morro da Palha, já em São Francisco do Sul. O corpo de Cátia foi localizado no final da tarde, em um riacho às margens da BR-280, em Araquari. A mulher estava encapuzada, tinha mãos algemadas para trás e marcas de tiro na nuca.

O velório de Cátia Regina Silva acontece no bairro Iririú, em Joinville. O enterro será às 16h30 desta sexta-feira (26) no Cemitério São Sebastião.

O caso é investigado pela Polícia Civil.

LEIA MAIS:

Empresária de São Francisco do Sul desaparece após retornar de viagem de compras em SP

Urgente: Corpo de empresária desaparecida é localizado em riacho em Araquari

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger