O 14º BPM (Batalhão de Polícia Militar) reforçou a fiscalização durante o lockdown na região de Jaraguá do Sul.

De acordo com o comando do batalhão foram, verificadas diversas situações de desrespeito às medidas que buscam diminuir a propagação do novo coronavírus e o colapso do sistema de saúde.

O comandante do 14º BPM, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, destaca o reforço de 16 policiais militares para atuar exclusivamente na questão.

Os PMs intensificaram o trabalho ainda na quinta-feira (25) e continuaram pelo fim de semana, quando apenas os serviços essenciais são autorizados a funcionar.

“Até pela divulgação que a imprensa está dando, houve um aumento de denúncias no 190, principalmente na manhã de sábado. Nós pedimos o auxílio da Vigilância Sanitária e da Polícia Civil. O delegado Fabiano dos Santos Silveira prontamente nos atendeu e colocou uma equipe à nossa disposição”, comenta.

Reisdorfer afirma que houve uma diminuição do número de festas clandestinas porque a fiscalização está mais contundente, mas foram registradas ocorrências, uma delas com o registro de um termo circunstanciado.

Nos espaços públicos, como a Via Verde, não ocorreram problemas.

O tenente-coronel frisa que a utilização dos aparelhos públicos, parques e áreas de lazer, está fechada também durante a semana.

A medida consta em um decreto municipal e está recebendo uma atenção especial da Polícia Militar.

“Durante o fim de semana, nós tivemos bastante aglomeração em supermercados. O pedido de reforço a Vigilância Sanitária e a Polícia Civil foi para isso. Na manhã de sábado, lojas do comércio estavam abertas e nós tivemos que atuar”, conta Reisdorfer.

Foto: 14º BPM/Divulgação

O comandante frisa que a fiscalização das normas para evitar a disseminação do novo coronavírus aumentou o trabalho dos policiais militares.

Ele destaca que, apesar disso, houve uma redução nos principais índices criminais, com redução de 66% no número de homicídios, 39% no de roubos e 35% no de furtos.

“O reforço disponibilizado pelo governo do Estado tem nos ajudado e nós vamos continuar o que já estamos fazendo, mas com maior intensidade. A gente sempre pede a colaboração da população, porque são profissionais que estão na linha de frente. Se um policial militar for no seu estabelecimento, colabore”, indica.

Segundo Reisdorfer, as aglomerações estão proibidas em locais públicos e privados desde março de 2020.

“Isso já está valendo há um ano. Por isso, nós pedimos a colaboração de todos”, finaliza.