Renato Henrique Openkoski e Aline da Cunha Souza, pais do menino Jonatas | Foto Arquivo
Renato Henrique Openkoski e Aline da Cunha Souza, pais do menino Jonatas | Foto Arquivo

A investigação da Polícia Civil de Joinville que apura se os pais do pequeno Jonatas Openkoski desviaram recursos da campanha AME Jonatas teve um importante capítulo nesta semana. Na última quinta-feira (24), a delegada Geórgia Bastos intimou Renato e Aline Openkoski para dar depoimento sobre o caso.

O casal foi interrogado na Delegacia de Proteção à Criança Adolescente Mulher e Idoso de Joinville. De acordo com a delegada o casal decidiu permanecer em silêncio durante a entrevista e disse que só falará na Justiça.

A delegada tem mais 90 dias para encerrar a investigação e encaminhá-la ao poder judiciário. Até lá, Geórgia deve receber alguns laudos que ainda estão pendentes e fechar o relatório da investigação. Ela também destacou que só dará entrevistas ao final do Inquérito policial.

A equipe de reportagem do OCP Joinville tentou conversar com a família investigada, mas Renato e Aline não foram encontrados para falarem sobre o caso. O dinheiro arrecadado pela campanha AME Jonatas segue bloqueado pela Justiça e só é liberado para ser utilizado no tratamento do menino mediante comprovação de notas fiscais.

Leia mais:

Investigações do caso AME Jonatas devem ser retomadas pela Polícia Civil em maio

Renato Openkoski, pai de Jonatas, grava vídeo se defendendo e posta em redes sociais

Polícia Civil desmente fake news e diz que não pediu mandado de prisão contra os envolvidos na campanha AME Jonatas

[VÍDEO] Polícia Civil diz que pais de Jonatas levavam vida confortável

Polícia Civil divulga imagens dos bens apreendidos na casa dos pais do menino Jonatas

Terça-feira será dia decisivo para o caso AME Jonatas

Justiça libera parte do dinheiro bloqueado e Jonatas recebe segunda dose de medicamento importado

Bloqueio das contas pode prejudicar tratamento de Jonatas, alega a família

A verdade sobre o caso Jonatas

Bebê Jonatas começa tratamento em hospital de Jaraguá do Sul. Saiba como ajudá-lo