Os sentimentos de tensão e desespero que tomaram conta da creche Pró-Infância Aquarela, em Saudades, durante o ataque ocorrido na última terça-feira (4), ficaram registrados na voz de uma mulher que chamou os bombeiros naquela manhã.

“Meu Deus, socorro, tem um maníaco aqui na creche”, foi a primeira coisa que disse a voz feminina ao telefone.

Quem atendeu a ligação foi o subtenente Lazaro Muller, de 60 anos de idade e bombeiro há 38 anos.

Ouça a gravação da chamada:

Imediatamente, o Corpo de Bombeiros Militar mandou duas viaturas até a creche, que fica no bairro Industrial. Uma equipe de socorristas saiu de Pinhalzinho, a 11 quilômetros, e outra do quartel em Saudades, que chegou à creche em pouco mais de três minutos.

Como percebeu que era algo muito grave, o próprio bombeiro conta que chamou a Polícia Militar.

Após a primeira ligação, às 10h02, o 193 recebeu outros dois chamados, às 10h06 e 10h09. Nas últimas duas ele já informou que a ajuda já estava a caminho.

“Eu sou pai, mexe com o psicológico, mas na Central tem que estar preparado para o que venha acontecer. Esse é o nosso serviço e precisamos manter a calma”, disse o bombeiro, que tem uma filha já com 30 anos, em entrevista ao NDMais.

Com informações de NDMais.