Agentes realizaram perícia que será anexada ao inquérito policial | Foto: IGP/Divulgação
Agentes realizaram perícia que será anexada ao inquérito policial | Foto: IGP/Divulgação

O Instituto Geral de Perícias (IGP) realizou vistoria no prédio onde uma menina de 7 anos caiu do 18º andar em Balneário Piçarras. Os agentes foram até o imóvel na tarde desta segunda-feira (21) e verificaram o local onde ocorreu o acidente.

De acordo com o IGP, a perícia constatou que a criança caiu num fosso de ventilação. A passagem de ar é escura e estava sem a grade de proteção porque a obra não estava concluída. A análise das evidências coletadas estará disponibilizada no laudo pericial.

 

 

O documento será anexado ao inquérito policial que apura a morte da criança. De acordo com a Polícia Civil, a investigação visa entender como ocorreu o acidente e se os pais foram omissos na cautela da criança. Os pais da vítima, Brenda Letícia da Silva, devem ser ouvidos nos próximos dias.

Queda do 18º andar

O acidente ocorreu em uma visita ao prédio localizado na avenida Nereu Ramos, no Centro, por volta das 13h30 de domingo (20). O pai de Brenda é empreiteiro e presta serviço para a Cill Construtora, empresa que está realizando a construção do prédio em fase de acabamento.

O pai da menina, a mãe, uma cunhada e outra criança estavam vendo o acabamento de um apartamento no 18º andar do edifício. Segundo o pai, Brenda estava brincando com a outra garota. Ela se desequilibrou e caiu em um buraco que dá em uma saída de ar do prédio.

“O pai da criança é empreiteiro e fazia a colocação dos pisos nos apartamentos. Não tinha ninguém na obra além do vigia e a construtora não tinha conhecimento da visita. Como o vigia o conhecia, autorizou a entrada dele e da família”, comenta a advogada da construtora, Carolina Pinto Figueiredo.

 

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram

Facebook Messenger