Em 15 dias, todas as gerências do IGP-SC (Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina) estarão operando com ferramentas de tecnologia padronizada nos setores de informática forense.

Iniciou-se nesta semana, na Gerência Mesorregional de Perícias de Criciúma, a etapa das entregas de novos equipamentos israelenses Cellebrite/UFED.

 

 

Essa tecnologia é determinante para a resolução de casos na área de informática forense, como o da morte do menino Henry Borel, de repercussão nacional, ocorrida em março no Rio de Janeiro.

O IGP utiliza a ferramenta desde 2015 e agora contemplará todas as unidades de perícia.

A informática forense representa 20% da demanda pericial do Instituto de Criminalística em Santa Catarina.

Somente em 2020, foram mais de cinco mil exames realizados.

Os equipamentos Cellebrite oferecem a tecnologia mais avançada em relação à recuperação de dados em dispositivos digitais.

O sistema é capaz de desativar bloqueios complicados, superar barreiras de criptografia que impeçam que evidências críticas apareçam e recuperar conteúdos excluídos, obtendo o máximo de dados dos dispositivos.

O perito-geral do IGP, Giovani Eduardo Adriano, enfatiza a importância da parceria realizada com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) no início deste ano.

Quatro equipamentos foram adquiridos com recursos próprios do IGP e outros oito, entregues agora, são resultado de um Acordo de Cooperação Técnica firmado com o MPSC.

“Agradecemos ao Ministério Público por valorizar e acreditar na perícia catarinense, trabalhando junto ao IGP para esta importante aquisição”, destaca o perito-geral.

Segundo o diretor do Instituto de Criminalística do IGP, Tiago Petry, as perícias em informática forense representam, atualmente, a maior demanda por exames periciais no Instituto de Criminalística.

“O IGP planejou e agora executa esse importante passo em direção à padronização e modernização para a perícia criminal na área de informática forense”, destaca.

A entrega está sendo feita de forma presencial pela direção do Instituto de Criminalística do IGP, que associa a visita às unidades com reunião de atualização e alinhamento com os gestores locais.

Na próxima semana, as entregas serão realizadas às unidades de Chapecó, Caçador e Lages. Em 14 dias aos IGP de Blumenau, Joinville e Balneário Camboriú.