Réu condenado há 18 anos e oito meses de prisão no regime fechado, sem direito a recorrer da sentença em liberdade. Este foi o resultado da sessão do Tribunal do Júri de Joinville, realizada no Fórum da cidade nesta quinta-feira (25). Os sete jurados se convenceram de que Jonathan Willian Fulik, 27 anos, é culpado pela morte de Braz da Silva Lemos, 62 anos.

Lemos foi morto a tiros no bairro Fátima, zona Sul de Joinville, no ano passado, depois de uma série de desavenças com Jonathan. De acordo com o processo criminal Lemos brigava muito com a companheira e frequentemente a Polícia Militar era acionada para apaziguar as discussões do casal. A vinda da PM naquele local atrapalhava o comércio de drogas na região, o que incomodava Jonathan.

A acusação no julgamento ficou por conta do promotor do Ministério Público de Santa Catarina Marcelo Sebastião Netto de Campos. Já a defesa do réu foi elaborada pelo defensor público Adir Martins.

O que chamou a atenção na sessão é o fato de Jonathan ter participado da sessão por videoconferência, uma vez que está detido no Presídio Regional de Blumenau. Ele negou as acusações.

A sentença foi proferida no início da tarde pelo juiz Gustavo Henrique Aracheski. A pena mais elevada, segundo o magistrado se deu pelo fato do réu ser reincidente e a vítima ser idosa.

LEIA MAIS:

Homem que matou vizinho por atrapalhar tráfico de drogas é julgado em Joinville

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger