Apesar da chuva contínua no fim de semana (foi o mês de maio mais chuvoso dos últimos 25 anos na maioria das regiões catarinenses), a Diretoria de Proteção e Defesa Civil atendeu poucas ocorrências relacionadas ao mau tempo em Jaraguá do Sul.

O motivo maior das ligações ao serviço 199 estava relacionado a deslizamento de terra. Um deles ocorreu na via RI-113, no bairro Chico de Paulo, após parte do terreno ter cedido numa área onde está localizado um galpão. O local foi interditado após vistoria dos técnicos da Defesa Civil.

Também foram registradas duas quedas árvores ocorridas nas ruas Francisco Hruschka e Irineu Franzner, ambas no bairro Tifa Martins.

As equipes técnicas também conseguiram desobstruir a Estrada Geral da região do Manso, próximo ao bairro de Santa Luzia, que teve seu acesso prejudicado após queda de barreira ocorrida na tarde de sexta-feira (30).

Passagem emergencial no Manso está liberada| PMJS

três salas de aula da Escola Guilherme Hanemann, permanecem interditadas preventivamente, após deslizamento de terra ocorrido perto do estabelecimento de ensino na quinta-feira (29).

Segundo a geóloga da Defesa Civil, Fernanda Marques Lemos, serão necessárias algumas medidas de correção/contenção da área atingida antes que as salas possam ser ocupadas com maior segurança por professores e alunos.

Deslizamento nos fundos da escola Guilherme Hanemann, na Barra do Rio Cerro | Foto Fábio Junkes/OCP News

Uma residência localizada próximo ao cemitério da Vila Lenzi também foi interditada pelo mesmo motivo.

Por outro lado, não foram registradas ocorrências relacionadas a alagamentos.

“Acredito que isto seja um reflexo das obras que revitalizaram o sistema de drenagem em vários pontos da cidade, bem como o trabalho de desassoreamento dos rios que cortam a cidade, em pontos considerados críticos até então”, avaliou o diretor que também lembrou que é crime jogar lixo nas margens dos rios.

Santa Catarina registra vários recordes de chuva

O mês de maio de 2019 foi o mais chuvoso dos últimos anos, na maioria das regiões catarinenses, segundo a Epagri/Ciram.

Alguns recordes de chuva ocorreram como pode ser observado nas figuras abaixo. Em Florianópolis, o mês de junho começou quebrando recorde diário, já no primeiro dia o total de chuva em 24 horas foi de 77,2 mm.

No Extremo Oeste, o total de chuva no mês de maio foi recorde em Dionísio Cerqueira, com 494,2 mm.

No Litoral Sul, a estação de Urussanga registrou recorde diário, de 128,4 mm no dia 25 de maio; e Laguna o recorde mensal, de 482,6 mm.

No Meio Oeste, a estação de Caçador registrou dois recordes: o diário de 104,6 mm no dia 31 de maio e o mensal de 260 mm.

No Planalto Norte, a estação de Rio Negrinho teve recorde diário de 126 mm (31 de maio) e mensal de 289,4 mm.

*Com informações da Prefeitura de Jaraguá do Sul e Epagri/Ciram.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?