A ocorrência de agressão em uma escola em Massaranduba terminou com um desfecho inusitado.

A funcionária da instituição de ensino localizada no Centro foi autuada por falsa comunicação de crime após ter confessado que inventou toda a história.

Durante o depoimento, a mulher de 52 anos disse aos policiais militares que não houve nenhuma invasão à escola, que não houve tentativa de furto e que cometeu as lesões por arma branca no próprio corpo.

 

 

O caso aconteceu na noite desta segunda-feira (17), na Escola de Ensino Básico Marechal Cândido Rondon.

Por volta das 19h40, a Polícia Militar foi chamada através do número 190.

As denúncias apontaram que um homem entrou numa escola para furtar uma bicicleta.

O ladrão teria esfaqueado a funcionária na perna esquerda e na região das costelas.

Guarnições de outros municípios foram enviadas para Massaranduba e iniciaram as buscas, pois o suposto autor da agressão teria fugido pelos fundos do colégio.

Em depoimento, a versão da zeladora apresentou diversas incoerências, o que chamou a atenção dos policiais militares.

Imagens das câmeras de segurança da escola não mostraram a invasão ou qualquer outra atividade criminosa.

Em um certo momento, ainda durante o depoimento, a mulher disse que nada do que relatou anteriormente havia realmente acontecido.

Ela informou que se automutilou para dar veracidade para a história fantasiosa.

Após confessar a falsa comunicação de crime, a mulher foi conduzida para a Central Regional de Plantão Policial de Jaraguá do Sul.

A funcionária tentou justificar a ação como uma tentativa de pedir mais segurança nas escolas do município.

A zeladora disse, ainda, que a filha também trabalha em uma escola e que ficou muito abalada emocionalmente com a chacina em Saudades, no Oeste de Santa Catarina.

No início do mês, um homem invadiu uma creche e matou cinco pessoas, duas funcionárias e três crianças.