O ex-gerente de fiscalização da Fundação do Meio Ambiente de Blumenau (Faema), Carlos Alberto Gonçalves, preso em flagrante no dia 19 de julho, foi condenado a quatro anos e quatro meses de detenção. Ele teria cobrado um valor de R$ 3 mil de propina de pessoas responsáveis pela construção de casas geminadas na rua 25 de Agosto, no bairro Fortaleza.

A defesa do homem que ocupava cargo comissionado na Prefeitura de Blumenau alegou a ilegalidade da prisão em flagrante, já que ela teria sido preparada. O argumento não foi acolhido porque não houve estímulo à prática do delito, mas apenas o monitoramento.

Como Carlos é reincidente criminal - já teve três condenações por tráfico de drogas e uma por furto, não poderá recorrer da decisão em liberdade. Além de permanecer detido no Presídio Regional de Blumenau, ele terá que pagar uma multa de aproximadamente R$ 18 mil.

Quer receber as notícias no WhatsApp?