A desmobilização do movimento que bloqueava a distribuidora de combustíveis em Biguaçu, na Grande Florianópolis, determinada por decisão judicial, foi marcada por tumulto e violência entre o final da tarde e a noite de terça-feira (30).

A intenção dos caminhoneiros, segundo o advogado que os representou voluntariamente, José Braz da Silveira, era finalizar a paralisação com carreata e entoação do Hino Nacional Brasileiro. Porém, cerca de 100 pessoas chegaram no local em vans com a intenção de impedir o desbloqueio. Foi necessário o uso da força por parte das polícias. Há relatos de que até caminhões teriam sido apedrejados.

Segundo o governo do Estado, pelo menos dez caminhões carregados com combustível deixaram a Transpetro, subsidiária da Petrobras em Biguaçu, após a atuação da Polícia Militar para realizar o desbloqueio da via. Cada veículo continha aproximadamente 30 mil litros de gasolina comum. Esse combustível foi destinado a 13 postos da região da Grande Florianópolis.