Em 11 anos de atuação, a Delegacia de Homicídios da Capital tem percentual recorde de crimes solucionados. No último final de semana, a Especializada registrou a milésima morte violenta na Capital desde a sua criação, em 05 de junho de 2008.

Das 1.000 mil mortes violentas consumadas, a equipe da DHCap conseguiu identificar a autoria de 813 casos, o que alcança um percentual de 81,34% dos casos solucionados.

Segundo o delegado Ênio de Oliveira Matos, responsável pela especializada, até esta terça-feira (27) foram contabilizadas 38 mortes violentas, enquanto em 2018 foram 93 e, em 2017, 105. Das 38 mortes violentas deste ano, já foi identificada a autoria em 34 casos, o que alcança um percentual de 89,47 de solução.

A milésima morte violenta aconteceu no final da noite da última sexta-feira (23), na Costeira do Pirajubaé. Uma mulher foi morta a tiros na entrada de sua residência.

Das 1.000 mil mortes violentas consumadas em 11 anos, a equipe da DHCap conseguiu identificar a autoria de 813 casos | Foto Polícia Civil Divulgação

Autoria Identificada

O Delegado Ênio esclarece que o número de 813 casos identificados não significa dizer que a DHCap conseguiu comprovar tecnicamente a autoria, ao ponto de serem indiciados ou denunciados.

“São notórias as dificuldades de se angariar prova nos autos, pelo temor de represálias por parte das testemunhas. É sabido também que o tráfico de drogas e as facções são cruéis com as pessoas tidas por eles como delatores ou informantes de policiais. Assim, carrear provas aos autos passou a ser uma tarefa hercúlea ou quase impossível”, destaca o titular daquela especializada.

 

Receba as notícias do OCP no WhatsApp: