A morte violenta da guaramirense Andreia Ruon, de 44 anos, deixou sentimentos de revolta e tristeza na região do Vale do Itapocu. Encontrada morta em um hotel na rua Nereu Ramos, na cidade de Garopaba, no Litoral Sul Catarinense, Andreia está sendo velada na Capela dos Santos Anjos, no bairro Avaí, em Guaramirim, e será sepultada na terça-feira (18), às 10h, no Cemitério Municipal de Guaramirim.

No domingo (16), a vítima foi encontrada por funcionários em um dos quartos no segundo andar do estabelecimento. Segundo a Polícia Civil de Garopaba, ela estava na cama e com um cadarço no pescoço. Não havia sinais de arrombamento na porta do quarto onde Andreia foi encontrada.

Como sumiu após o crime, o companheiro dela, Reginaldo Anselmo Garcia, é o principal suspeito de matá-la. Segundo a família de Andreia, ele tinha histórico de agressão contra a companheira, inclusive com registros de boletins na delegacia. Os dois namoravam há cerca de 10 anos.

Segundo testemunhas, os dois estavam hospedados no hotel desde a última quinta-feira. Reginaldo foi visto pela última vez no sábado à noite. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Tubarão e foi liberado nesta segunda-feira (17) para o translado.

Desempregada e moradora do Centro de Guaramirim, Andreia deixa enlutados um filho de 27 anos e uma filha de 26 anos do relacionamento anterior.

Andreia Ruon e Reginaldo Garcia estavam juntos há 10 anos | Foto Reprodução

Mensagens de carinho

Logo após a notícia ser divulgada pela família, dezenas de pessoas deixaram mensagens lamentando a morte cruel de Andreia. A maioria das mensagens foram de amigas:

"Descanse em paz, morou pouco tempo comigo e com a mãe, mas se tornou uma grande amiga, que os anjos te guardem, fica bem, que você esteja em um lugar melhor, fica na paz do senhor", disse Miryelle Maier‎.

 

"Deus te guarde aí em cima pra quando nos encontrarmos amiga querida. Mais uma estrela que nos deixa", comentou ‎Josi Rachadel Ilhéo‎.

 

Meus sentimentos à família, uma amiga muito querida. Descanse em paz nos braços do senhor", comentou Raquel Rocha‎.

 

"Não tô acreditando ainda, vou lembrar de você assim sempre sorrindo, vá em paz amiga, que tenha muita luz no seu caminho, sentiremos sua falta", ‎disse Rosane Setter‎.

Andreia era descrita como uma mulher alto astral | Foto Reprodução

"Você se foi tão cruelmente"

"O que dizer? Estou muito triste por saber que você se foi tão cruelmente. Te amava muito e vou continuar te amando sempre. Você foi uma mãezona pra mim durante todo o tempo que passou com papai. Me ensinou a se maquiar. Lembro que acabava com suas maquiagens e hoje não poderei mais usar. O céu ganhou mais uma estrela e sei que aí de cima vai continuar cuidando de todos aqui que te amam e sentiram sua falta. Nunca vou te esquecer, você está mais viva que nunca dentro do meu coração. Que descanse em paz, minha amiga mãezona. Te amo", disse Nathaly.

 

"Óh minha eterna sogrinha, partisse tão cedo. Mas sempre estará viva em nossos corações, sendo lembrada com aquela alegria que contagiava as pessoas ao seu redor. Amo você", comentou Bárbara Marques‎.

Registro de um passeio na praia da Ferrugem no início de dezembro deste ano | Foto Reprodução

Investigação

Os depoimentos começaram a ser colhidos nesta segunda-feira (17), segundo o delegado Walter Figueiredo Loyola, titular na Delegacia de Garopaba e responsável pela investigação do caso. "A linha de investigação trata de feminicídio", explica. A Polícia Civil aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias para oficializar a causa da morte. Caso se confirme a suspeita da polícia, Reginaldo deverá responder por crime de feminicídio.

A vítima foi encontrada com sinais de esganadura, com um cadarço de tênis preso na região do pescoço e um travesseiro no rosto. "Foram encontradas toalhas e camisas com sangue. Ela estava com roupa, com um lençol sobre o corpo", detalha o delegado. "Tudo indica, pelas marcas da corda no pescoço, que seja asfixia", explica Loyola, acrescentando que no decorrer do inquérito as informações serão apuradas.

Durante conversa com a reportagem do OCP News nesta segunda-feira, o filho de Andreia, Tiago Rodrigues, disse que Reginaldo fugiu do local do crime. "Ele já havia sido preso há alguns anos por violência contra ela. Ele agredia ela", disse.

Tiago publicou em rede social uma mensagem de despedida para a mãe: "Te amo pra sempre, vai deixar saudades".

"Que a justiça seja feita"

‎Também em rede social, Mariele Nikelatti‎ disse que o suspeito deixou uma mensagem depois de fugir. "Ele mandou uma mensagem pelo WhatsApp dela se desculpando aos familiares e amigos...".

Inconformada com a violência, Miriele pede Justiça. "Você não tinha o direito de tirar a vida da minha amiga assim".

LEIA MAIS:

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?