A morte da guaramirense Andreia Ruon, de 44 anos, é investigada como feminicídio. Os depoimentos começaram ser colhidos nesta segunda-feira (17), segundo o delegado Walter Figueiredo Loyola, titular na Delegacia de Garopaba e responsável pela investigação do caso. O principal suspeito é o namorado da vítima, Reginaldo Anselmo Garcia.

Leia mais:

"A linha de investigação trata de feminicídio", explica Loyola. O corpo da vítima foi encontrado na cama de um quarto no hotel no Morro do Ferraz, em Garopaba, neste domingo (16). "Ele não é considerado foragido ainda, por enquanto não há mandado de prisão para ele e é considerado suspeito", esclarece.

Casal gostava de viajar e registrar os momentos juntos | Foto Reprodução

Sinais de esganadura

A vítima foi encontrada com sinais de esganadura, com um cadarço de tênis preso na região do pescoço e um travesseiro no rosto. "Foram encontradas toalhas e camisas com sangue. Ela estava com roupa, com um lençol sobre o corpo", detalha o delegado. "Tudo indica, pelas marcas da corda no pescoço, que seja asfixia", explica Loyola, acrescentando que no decorrer do inquérito as informações serão apuradas.

O delegado disse que Reginaldo possui diversos tipos de boletins de ocorrência por violência doméstica. Os registros foram feitos pela namorada Andreia. "Estamos aguardando o laudo do local de crime e estamos encaminhando alguns materiais apreendidos no local do crime", esclarece.

O proprietário do hotel e outras testemunhas que presenciaram o casal na pousada devem ser ouvidos. "Também vamos ouvir um familiar para saber como era o relacionamento entre os dois", conta Loyola, destacando que deve ser verificado se algum dos objetos recolhidos com manchas de sangue era do suspeito. Reginaldo também deve ser ouvido.

Relembre o caso

O casal de namorados estava hospedado no quarto 103, no segundo andar de um hotel na rua Nereu Ramos, em Garopaba, no Litoral Sul de SC, desde o último dia 13 de dezembro.

Segundo o boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Garopaba, os hóspedes sentiram algo estranho e ligaram para a polícia. O suspeito foi visto pela última vez pelos funcionários do hotel às 23h de sábado.

Durante conversa com a reportagem do OCP News nesta segunda-feira, o filho de Andreia, Tiago Rodrigues, disse que Reginaldo fugiu do local do crime. "Ele já havia sido preso há alguns anos por violência contra ela. Ele agredia ela", disse.

O casal estava junto há 10 anos, conta Tiago.

Vítima foi encontrada com sinais de esganadura | Foto Divulgação

Andreia morava no Centro de Guaramirim, estava desempregada e deixa enlutados um filho de 27 anos e uma filha de 26 anos do relacionamento anterior.

Ela será velada na Paróquia Santos Anjos, em Guaramirim, a partir das 21h desta segunda-feira. O sepultamento será na terça-feira (18), às 10h, no Cemitério Municipal de Guaramirim.

Quer receber as notícias no WhatsApp?