Uma mensagem enviada por uma mulher a uma rádio durante a entrevista de um delegado encerrou um sofrimento que já durava 20 anos. Ela pedia socorro alegando estar em cárcere privado e que não suportava mais a violência imposta pelo marido. A mulher foi libertada e o homem acabou preso. O caso aconteceu em Bom Jesus, cidade do interior do Rio Grande do Sul, a 60 km de Vacaria, onde acontecia a entrevista.

De acordo com o delegado Anderson Silveira de Lima, a mensagem chegou pelo celular do radialista e ela dizia que além da violência, era vítima de outros crimes.

 

 

"Oi, por favor, me ajuda. Eu to no interior de Bom Jesus. Ele [o marido] está me ameaçando. Não posso sair a pé daqui. Não tenho (telefone) fixo, nem sinal de telefone. Por favor, chama a polícia", escreveu a mulher. Ela dizia que só conseguia se comunicar por WhatsApp e deu detalhes de onde estava. "Socorro, não aguento mais, me ajuda", ela escreveu.

Conforme informações ao site G1, o delegado Anderson Silveira de Lima repassou o pedido de socorro ao seu colega, Ancelmo Carvalho Camargo, responsável pelo município de Bom Jesus, que mandou uma equipe até a propriedade rural, localizada a 20 km da cidade, em local de difícil acesso.

A mulher, de 38 anos, foi libertada e o suspeito, de 47 anos, preso em flagrante por cárcere privado, violência doméstica e posse ilegal de arma de fogo. Segundo a polícia, ele foi levado ao Presídio Estadual de Vacaria.

 

 

De acordo com o delegado Camargo, a mulher era constantemente ameaçada por arma de fogo.

"A vítima relata que sofre violência doméstica há mais de 20 anos. Já tinha pedido uma medida protetiva em 2015, mas disse que reatou o casamento com o marido logo depois porque dependia financeiramente dele. O casal tem quatro filhos, todos menores de idade, e o relato da mãe é que eles também sofriam o mesmo tipo de represálias do pai. Ela conta que a circulação dela e dos filhos na fazenda onde moravam era sob ameaça de arma de fogo".

A mulher recebeu atendimento no Cartório Especializado de Atendimento à Mulher. A polícia encaminhou pedido de medida protetiva e de prisão preventiva contra o suspeito.