Vacina da Covid-19, educação, saúde, economia... Confira as respostas dos candidatos à Prefeitura de Criciúma
Vacina da Covid-19, educação, saúde, economia... Confira as respostas dos candidatos à Prefeitura de Criciúma

Ocorreu na manhã deste sábado, sob o comando das rádios, Jovem Pan News Criciúma e Hulha Negra, e do Portal OCP News Criciúma, o debate entre os candidatos à Prefeitura de Criciúma.

Todos os sete postulantes ao cargo de chefe do Executivo criciumense estiveram presentes na Associação Empresarial de Criciúma (Acic).

Em quase duas horas, eles apresentaram suas propostas, indagaram adversários e fizeram suas considerações.

De forma pioneira neste pleito 2020 na cidade, os cidadãos criciumenses puderam participar encaminhando suas perguntas, que foram sorteadas e destinadas, de forma aleatória, aos candidatos.

Confira


Lucas Duarte, 22 anos, professor de inglês

Pergunta: Em 2021, provavelmente já estará disponível uma vacina para a Covid-19. Na sua opinião, os cidadãos criciumenses deverão ser obrigados a tomar a vacina ou não?

Clésio Salvaro (PSDB)

Reposta

Primeiro agradecer a perguntar do Lucas, que o debate não pode ser um debate ideológico, político, partidário, ele tem que ser técnico. Nós aqui em Criciúma, nesse período da pandemia, nós respeitamos o ato médico, nós respeitamos o diploma médico, exatamente porque se estudou para isso, ainda que não se tenha uma receita, um protocolo definido em relação à pandemia. Mas nós entendemos que, por conta de o ser humano, ele que leva, de um lado para o outro, o vírus, nós entendemos que sim, que deve ser obrigatória a vacinação. Até porque o uso obrigatório do cinto de segurança, é para proteger a sua vida. Agora imagina se tu é o transmissor do vírus, se tu leva o vírus de um lado para o outro. As pessoas, elas têm a responsabilidade coletiva. Nós entendemos que sim, a partir do momento que a vacina vier, é claro, que do meu ponto de vista, o respeito, a valorização do diploma do ato médico. E aqui no município de Criciúma nós já estamos colocando no orçamento de 2021, se por acaso o governo federal não disponibilizar, o município vai comprar a vacina para disponibilizar para todo cidadão criciumense.


Lisandra Luís, 43 anos, servidora pública, bairro Teresa Cristina

Pergunta: Você acha que a Guarda Municipal pode ajudar na segurança pública do município de Criciúma visto que, em outros municípios, elas existem e contribuem e muito para a segurança dos cidadãos?

Professor Ederson (PSTU)

Resposta

A gente acredita que sim, a Guarda Municipal ela tem respaldo no município e ajuda muito. Mas a gente tem acordo de modelo, de como a Guarda Municipal está colocada aí nas ruas. Hoje a Guarda Municipal nos municípios ela é militarizada e pratica quase que a mesma violência do que a Polícia Militar. Então a gente é contra a militarização da Guarda Municipal e acredita que através dos conselhos populares, a gente defende que a Guarda Municipal seja eleita pela comunidade. Com o trabalho revogável a qualquer tempo, porque a gente não vai colocar mais uma autarquia da cidade pra massacrar trabalhador e morador de bairro da cidade. Então a gente acredita que esse trabalhador sendo eleito ele vai ajudar, vai somar muito para a cidade de Criciúma.


Maria Olívia, Centro

Pergunta: O que o candidato vai fazer para a economia do município tendo em vista que muitas empresas tiveram prejuízo na pandemia?

Coronel Manique Barreto (Podemos)

Resposta

A própria Acic, em sua revista, ela coloca que um dos problemas que se têm na cidade não é nem a quantidade de empresas, mas a falta de mão de obra qualificada. Nós temos a visão que, existe o momento atual que nós vamos ter que preparar as pessoas para ingressarem novamente na atividade profissional e nós temos aquela criança que tem que ser preparada para entrar numa atividade profissional no futuro. Então nós temos que ter a visão de qual o serviço que vai ser utilizado lá na frente, daqui a quatro, cinco, dez anos, e o que tem de necessidade atual. As necessidades atuais aqui eu não vejo nenhuma ação sendo desenvolvida para qualificar essa pessoa que está desempregada, bem como a busca de financiamento para que essas pessoas, proprietárias de empresas ou pequenas empresas, possam se reaquecer dentro do mundo econômico que estamos vivendo atualmente.


Maria Bernardes, Rio Maina

Pergunta: Considerando a riqueza histórica da colonização da nossa cidade, quais as medidas concretas que o eleitor pode esperar de sua administração para o resgate da cultura em nosso municípios?

Dr. Anibal Dário (MDB)

Resposta

Uma excelente pergunta, resgata uma importante história da nossa cidade. Quero dizer para a Maria, do Rio Maina, que é uma das sedes fundadoras da nossa cidade, que essa história vai ser ressaltada na nossa gestão. Nós vamos trazer as etnias de volta para fazer a co-gestão. Através das etnias, nós vamos criar uma série de eventos, uma série de medidas, para resgatar e salientar para as novas gerações, as nossas crianças, a importância da contribuição dos colonizadores para a nossa cidade. Nós vamos levar para a sala de aula as histórias, não só de relatos macro, mas históricos específicos das dificuldades dos colonizadores. Nós vamos fomentar, trazer de voltar os corais, que é uma herança importante da nossa cultura; nós vamos fomentar a produção cultural dos grupos de dança. Agora também quero chamar a atenção para os novos colonizadores da nossa cidade, os paraenses, os nordestinos, as pessoas do Norte que também já estão se inserindo na nossa sociedade e ocupando papel importantíssimo na nossa cidade.


Daniel Borneli, bairro Colonial

Pergunta: A pandemia do coronavírus trouxe impactos financeiros que resultaram em grandes problemas como queda na receita, desempregos e gastos que não estavam planejados. Esse cenário pode provocar reflexos para 2021? Como manter o equilíbrio financeiro mantendo a lei de responsabilidade fiscal e ao mesmo tempo aquecer a economia do município?

Chico Balthazar (PT)

Resposta

A pandemia trouxe algumas questões em definitivo, como, por exemplo, eu citei a questão da educação, que a nossa rede municipal de educação não consegue acompanhar a rede privada, porque não tem internet de qualidade na casa dos estudantes e o estudante da rede municipal também não tem um computador. Essas questões pontuais precisamos resolver a partir do momento que as coisas avançam. Eu acho que a pandemia, neste momento, nós temos que estar muito mais ocupados em resolver o problema de saúde. Foi tomada uma decisão há pouco tempo, de retorno às aulas da rede municipal, e achei isso uma irresponsabilidade. Porque a economia, a gente vai fazer um esforço coletivo, um mutirão, para resolver, a partir do momento que a vacina sair e a curva acabar, chegar ao chão, e a vida for garantida. E as vidas perdidas, essas não tem mais volta. Então eu acredito que o momento é este, de a gente se cuidar, agradecer aos médicos e as equipes médicas e fortalecer a resistência ao vírus.


Mônica Felisberto Darós, 41 anos, professora municipal, bairro São Domingos

Pergunta

Como será entendida a questão de que ainda hoje ainda existem diretores escolares indicados nas escolas municipais? O senhor candidato se compromete em modificar essa lei e definir as eleições em todas as unidades escolares da rede municipal de ensino de Criciúma?

Rodrigo Minotto (PDT)

Resposta

Então Mônica, muito obrigado aí pela tua pergunta porque eu penso que um dos candidatos que mais conhece a educação sou eu. Sinto-me muita à vontade de falar isso contigo e a todos os ouvintes que nos acompanham, porque nós percebemos que vários candidatos aqui prometem isso, prometem aquilo, mas não dizem o que fazer, como fazer e quando fazer. Eu quero te dizer, Mônica que eu, enquanto prefeito de Criciúma, junto com toda a nossa equipe, nós vamos ter um atendimento totalmente diferenciado a todos os professores da rede pública municipal, dando a devida valorização a cada um e a cada uma. O gabinete do prefeito terá portas abertas como deve ser, para atender todas as demandas da rede pública municipal na educação, na saúde, na infraestrutura. Eu não serei um prefeito de gabinete não, serei um prefeito das pessoas. Nós precisamos dialogar, ouvir e buscar soluções das demandas que são apresentadas. Temos muito o que fazer pela educação de Criciúma e vocês, professores e professoras, são fundamentais no crescimento do nosso índice de desenvolvimento da educação básica de Criciúma. Nós seremos protagonistas da educação referência do Estado de Santa Catarina. Não podemos ser mais a cidade de número 162 nas séries iniciais comparada aos 295 municípios do Estado.


Vilma Teodósio, bairro Centro

Pergunta

Na sua campanha e nas conversas que têm feito com o eleitor, quais os problemas mais sérios a serem sanados na cidade de Criciúma. E como você pretendo resolvê-lo?

Júlia Zanatta (PL)

Resposta

A gente tem conversado muito, eu e o meu vice, Dr. Allison Pires, com as pessoas e o que eu mais tenho escutado é a questão da área da saúde, que falta especialista, falta requisição de exame. Tem a questão do atendimento, então nós vamos humanizar, junto com o Dr. Allison Pires, que é médico geriatra, vamos humanizar o atendimento na saúde, vamos fazer parcerias com clínicas e consultórios particulares para que a população tenha acesso a mais especialistas. Nós não vamos deixar ninguém esperando em filas durante a madrugada. Nós vamos trazer, usar a tecnologia a nosso favor, para que essa questão da saúde seja resolvida. Nós vamos dar dignidade às pessoas, porque não é possível que, quando mais você precisa da saúde, você não consiga um atendimento médico. Isso é desumano. Falta um olhar com mais carinho, falta verdade, como tudo que tá acontecendo em Criciúma. Então você pode ter certeza, Vilma, que a partir do dia 1º de janeiro de 2021 nós vamos ter uma Secretaria da Saúde e não mais uma Secretaria da Doença, como nós temos hoje no município de Criciúma. Porque nós vamos trabalhar, além de tudo, a questão da prevenção.

 

 

Leia também

 


Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp