O presidente do Senado Federal Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou no fim da tarde desta terça-feira (17) que a Casa rejeitará o projeto de lei que propõe a flexibilização das regras eleitorais e partidárias.

O projeto havia sido incluído por ele como o primeiro item da pauta de votação desta terça-feira no plenário, mas provocou uma grande reação de um grupo de parlamentares e entidades que percorreram os gabinetes dos senadores durante toda a manhã e início da tarde.

Logo após o anúncio, Alcolumbre convocou uma sessão extraordinária da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que tratou de um único item do projeto, o que define o fundo eleitoral - utilizado pelos partidos em anos de campanha.

Em votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, do Senado Federal, das novas regras eleitorais, participaram 15 parlamentares, destes 12 foram a favor e três contrários sendo um deles o senador catarinense Jorginho Mello (PL). “Votei contra o aumento do “fundão”, já votei contra quando deputado federal e não utilizei o Fundo Eleitoral”, ressaltou Jorginho. A maioria que integra a comissão votou a favor.

Esperidião Amin (PP) não votou, já que está em viagem a China e Dário Berger (MDB) não participa da CCJ.

Veja também:

Presidente do Senado retira de pauta texto que flexibiliza regras para partidos

Senado deve votar às pressas projeto que dificulta fiscalização de irregularidades em campanhas eleitorais

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger