Com o segundo turno em 57 cidades do país, no último domingo (29), encerram-se as eleições municipais de 2020.

Na região de Jaraguá do Sul, que teve o processo concluído ainda no primeiro turno em 15 de novembro, o resultado do pleito mostrou que partidos, candidatos e equipes de marketing político precisam sempre estar alinhados às mudanças sociais, sejam temporárias ou não, tanto no modo como os eleitores estão se comunicando, quanto principalmente, na mensagem que enviam.

Sem dúvida, a pandemia do coronavírus e as medidas restritivas para evitar a disseminação do vírus consolidaram as redes sociais como um meio de comunicação que não pode ser tratado meramente como uma ferramenta de grande alcance e facilidade de engajamento sem se preocupar com o conteúdo veiculado.

"Hoje é tudo muito público. Não dá para ter discurso e prática diferente", diz a jornalista e assessora de imprensa do prefeito reeleito Antídio Lunelli (MDB), Patrícia Moraes.

"Tem que ser uma coisa pessoal e verdadeira, porque quando você enlata um candidato, uma liderança, não funciona, as pessoas percebem", observa.

Antídio Lunelli e Jair Franzner em campanha eleitoral. Distanciamento marcou eleições de 2020 | Foto Reprodução/Facebook

Porta-voz da equipe de comunicação do prefeito reeleito Luís Chiodini (PP), de Guaramirim, o jornalista e coordenador de markting da campanha, Ricardo Portelinha aponta que a eleição de 2020 foi atípica por causa da Covid-19 e muitas estratégias tiveram que ser revistas e os investimentos em marketing e comunicação acabaram direcionados para as redes sociais.

"A cada eleição vêm se aperfeiçoando algumas ações de contato com o eleitor e outras tantas se modifica", diz Portelinha.

"As redes sociais assumiram o posto da conversa entre candidato e eleitor, algo diferente da eleição passada onde elas ainda não tinham tanta força porque o contato pessoal ou presencial era possível", complementa.

Na visão da equipe de Chiodini, na eleição anterior a presença online ainda era uma novidade para eleitor e candidato, enquanto nesta ela foi indispensável e "extremamente essencial, já que os eleitores e candidatos já estavam familiarizados e confiantes com as plataformas online".

"Nada vai voltar a ser como já foi. A transparência é fundamental, saber se comunicar é essencial, ser verdadeiro também. Mas, claro, o contato com o eleitor, a conversa olho no olho, isso tudo continua sendo importante e vai ter seu espaço em uma eleição pós pandemia", atenta Patrícia.

Fake news

Além do coronavírus, o mundo também vive uma pandemia de fake news, gerando um importante e grande debate no meio social nos últimos anos, com movimentos legislativos e jurídicos nacionais tramitando nestas esferas de poder em busca de controle e responsabilização.

No entanto, a assessora de imprensa Patrícia Moraes acredita que cada vez mais as pessoas estão sabendo diferenciar informação de fake news.

"Recebeu material falando mal de um candidato, de um número estranho? De um remetente desconhecido? Tem grandes chances de ser fake news. As pessoas não querem mais saber desse tipo de política", aponta.

O jornalista Ricardo Portelinha também diz que a equipe de comunicação do prefeito Luís Chiodini percebeu a população mais atenta ao conteúdo falso, difamatório.

"Ofensas, difamações e injúrias publicadas nas redes sociais se mostraram uma estratégia errada para ganhar a confiança do eleitor. A apresentação de propostas e falar sempre a verdade deram o tom deste pleito", afirma.

Luís Chiodini e integrantes da equipe de marketing Heloísa Jahn e Esmeraldo Chiodini Neto | Foto Divulgação/Equipe de Comunicação

Outro fator que conta positivamente no combate às fake news é que nas eleições municipais, principalmente em municípios menores (Jaraguá do Sul tem uma estimativa de 181 mil habitantes), como é o caso das cidades do entorno, a proximidade com os candidatos permite o confronto mais direto do conteúdo disseminado, algo que se torna mais difícil em uma eleição geral, para governadores, deputados e presidente da República.

Mas, a vigilância e atenção dos eleitores contra as fake news deve ser uma prática cada vez mais desenvolvida e refinada entre a população, já que é esperado que continuem sendo um problema para o processo eleitoral, ainda por algum tempo.

"Isto porque as mensagens são compartilhadas individualmente e silenciosamente sem possibilidade de qualquer controle diante do próprio processo de criptografia destas mensagens. Este é o problema. Estas mensagens (contendo informações falsas) não podem ser auditadas ou bloqueadas como ocorre com outros canais de comunicação como impressos, rádio, televisão e em portais de notícias da própria internet", diz o professor e cientista político Jeison Heiler.

"Assim, embora o eleitor possa estar mais previdente com relação às fake news pelo próprio formato em que são disseminadas, ainda podem causar grandes estragos, principalmente quando compartilhadas há poucos dias ou mesmo horas antes da eleição", avalia.

MDB e PP

O MDB de Jaraguá do Sul e o PP de Guaramirim saíram fortalecidos das eleições municipais de 2020, como mostram os dados do pleito.

"Na proporcional, o MDB foi o partido que mais recebeu votos, foram 16.190 e foi o partido que teve mais votos de legenda. Mantivemos as três vagas na Câmara e por pouco, 193 votos, não garantimos a quarta vaga", comenta o presidente do MDB em Jaraguá do Sul, Eduardo Bertoldi.

Da esquerda para a direita, Carlos Chiodini, Jair Franzner, Antídio Lunelli e Eduardo Bertoldi, durante a campanha eleitoral 2020 | Foto Divulgação/MDB Jaraguá do Sul

"Também fizemos o vereador mais votado. Aliás, dos quatro vereadores mais votados, três são do MDB. Foi um trabalho valoroso de equipe e com foco no bem coletivo. Nosso pensamento sempre foi o de garantir que Jaraguá do Sul continue crescendo, evoluindo, inovando e sendo exemplo para Santa Catarina e para Brasil", declara.

"Para essa nova disputa eleitoral, o PP buscou apoio de partidos que compartilhassem o mesmo propósito de seguir o desenvolvimento de Guaramirim com paz, união e respeito. E com alegria que tivemos novamente o DEM ao nosso lado, e os partidos PSL, PTB e PSD", avalia o presidente do PP em Guaramirim, Ademir Maffei.

Para o pepista, os números conquistados pelo partido no município mostrariam que a população esperava uma política diferente e que a legenda, na figura de Chiodini, ao lado do vice Osvaldo Devigili (DEM), teriam conseguido entregar.

Luis Chiodini e Ademir Maffei (ambos de azul escuro) em campanha do PP em Guaramirim | Foto Divulgação/PP de Guaramirim

"O professor Chiodini uniu pessoas competentes, trouxe a harmonia entre a Prefeitura e Câmara de Vereadores, sempre priorizando pela transparência nas ações e não mediu esforços para trazer inúmeras conquistas para a cidade", diz Maffei.

Em retribuição aos votos confiados no MDB em Jaraguá do Sul, Bertoldi retoma a fala do prefeito reeleito Antídio Lunelli descatando que, além de um resultado histórico, os números aumentam a responsabilidade do partido.

"Tanto no Executivo como no Legislativo, os representantes do MDB têm um compromisso com a população, com decisões que levem em conta os reflexos futuros e focado sempre na qualidade de vida dos jaraguaenses", declara o presidente.

 

Telegram Jaraguá do Sul