Depois de decretar a intervenção na gestão do Pronto Atendimento de Corupá, o prefeito João Carlos Gottardi (PP) designou comissão para apurar as possíveis irregularidades cometidas pelo Instituto Civitas de Desenvolvimento Humano, responsável pela administração do PA desde o ano passado.

Segundo o prefeito, no período determinado da intervenção, de 30 dias, a comissão deverá trazer mais subsídios e informações que irão determinar os passos seguintes em relação ao contrato de gestão do PA.

“Encaminhamos para a comissão apuratória para analisar sim essas possíveis irregularidades para poder aplicar algumas penalidades cabíveis, multa ou o que pode vir acontecer”, afirma Gottardi.

O prefeito destaca duas principais irregularidades que foram apontadas pela Comissão de Avaliação e Fiscalização (CAF): a falta de médico plantonista e de apresentação das escalas médicas para o mês de outubro.

Para manter o funcionamento da unidade e os serviços à população, o governo decretou a intervenção, nomeando o servidor Michael Pereira Marques como interventor, que é enfermeiro e gerente de Promoção e Assistência em Saúde.

“Vamos acompanhar os trabalhos do Instituto nesse período de 30 dias e não deixar falta nada no PA, é o que já fizemos, contatamos com médicos e não está faltando médico no atendimento, as pessoas que precisarem podem ir ao PA para serem atendidas”, reforça Gottardi.

O OCP tem tentado contato com o Instituto Civitas desde esta quarta-feira (2), mas ainda não teve retorno.

Veja mais